quarta-feira, 6 de maio de 2009

O mundo está perdido: até tu, Suplicy?

A Folha de S. Paulo revela na edição desta quarta-feira que o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) também cedeu passagens do gabinete para que a sua namorada viajasse pelo Brasil e para Paris. Suplicy já ressarciu os cofres públicos, mas fica aqui a decepção do blog com aquele que sempre reputamos como o mais honestos dos parlamentares brasileiros. Uma pena, Suplicy parecia ser aquela réstia de esperança no ar: todo mundo fez isto e aquilo? Todo mundo, não! O Suplicy não fez. Enfim, do senador paulista ninguém esperaria a menor malandragem, jamais, até porque ele tem cara de quem simplesmente não sabe como fazer uma malandragem. Pelo que saiu na Folha, sabe direitinho.

4 comentários:

  1. Meu primo foi à praia com a família. Eram umas 9 da manhã e ele foi num quiosque comprar cerveja. Só viu um cara careca lá dentro. Perguntou:

    - O bar tá aberto?

    E o cara careca respondeu

    -... Eu acho que tá...

    Silêncio de uns 5 segundos. meu primo pergunta:

    - Quanto é a cerveja?

    Cara careca sai puto. Era o Eduardo Suplicy

    Resultado: eu sempre soube!

    ResponderExcluir
  2. Simples assim:Os roubos"que descobrirem"serao ressarcidos aos cofres publicos!
    Sera que nao escapa um???
    So falta agora o Chico Alencar pra casa desabar de vez!

    ResponderExcluir
  3. Sabe, Luiz Antonio, que eu também fico chateado com essa história de todo mundo se surpreender que o Suplicy apronte também das suas. No fundo, dá a entender que estamos tão acostumados com a sacanagem que, quando é um Agripino Maia da vida, a gente nem se surpreende e acaba até relevando. Já um Suplicy, oh! A gente não esperava. Mas, pera lá, não importa de onde venha: a indistinção entre público e privado deveria chocar na mesma dimensão, não importando de onde venha.

    ResponderExcluir
  4. Bom, vcs. me desculpem, mas ainda continuo achando o Suplicy um exemplo de político. Ressarciu os cofres públicos, admitiu o erro, é muito mais do que posso dizer sobre a maioria dos politicos desse país.

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.