terça-feira, 19 de maio de 2009

Coisa ridícula

Realmente chama atenção o fato do Banco do Brasil ter aumentado as taxas de juros cobradas de seus clientes depois da troca do presidente da instituição, que saiu justamente porque as taxas estavam mais altas do que o governo julgava razoável. Parece até sabotagem, mas não é possível que o pessoal do BB não imagine que a mídia vai ficar no pé, acompanhando a variação das taxas para conferir se o governo conseguiu o que pretendia com a troca. É claro que se as taxas tivessem caído, os jornalões estariam manchetando a "ação política" do PT no Banco do Brasil e qualificando a eventual queda de "artificial" ou de "lesiva aos interesses dos acionistas", mas isto não importa. Importa que manda quem pode, obedece quem tem juízo: se Lula estava irritado com as taxas cobradas e trocou o principal dirigente da instituição para permitir a queda dos juros, é melhor que eles caiam. Porque certamente o governo não vai aceitar uma desmoralização pública desta magnitude...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.