quarta-feira, 11 de março de 2009

O pior país do mundo

Manchete do UOL antes do corte nos juros: Brasil é o segundo mais atingido pela crise, diz Fiesp. É um absurdo tão grande que só rindo mesmo para aguentar tamanha manipulação. Não demora e a grande imprensa vai começar a vender a coisa direito: a crise no Brasil é a mais grave no planeta e é tudo culpa do Lula. Se colar, colou... Lembra um pouco a tal "crise aérea", aquela sobre a qual ninguém falava mais seis meses depois da sua trágica eclosão. O ridículo tem limites, mas a mídia os desconhece.

3 comentários:

  1. Essa gente é capaz de fazer os mais desavisado acreditar que 1 é maior ou igual a 2. No exato momento em que vi a manchete no Terra, seu post surgiu no meu blog, de imediato eu já havia sacado o que tinha acontecido, mesmo assim fui lá conferir, é sofrível. Eu sou Administrador, sou capaz de fazer qualquer coisa com uma planilha de custos, mas essa gente passa das medidas. Eu te pergunto caro São Paulino, essas coisas são ensinadas em cursos de Jornalismo? Reponda sinceramente a esse Cruzereinse que vos escreve.

    ResponderExcluir
  2. Esses caras são incompetentes. O tiro vai sair pela culatra. Eles alarmam a população dizendo que a crise no Brasil é a segunda maior do mundo. Depois, os fatos mostram que isso não corresponde à realidade. Quem colherá os créditos dessa diferença entre percepção e realidade? O próprio Lula!

    ResponderExcluir
  3. Há tanta coisa que pode ser dita sobre essa "notícia" que não vale a pena perder tempo... Mas como o cara pode comparar a variação da variação? E dizer que a queda nos EUA na crise foi de 2,8 p.p., pois, segundo calculou o "economista", a economia americana cresceu 1,2% no 4º tri de 2007 e caiu 1,6% no 4º tri de 2008 (notem o período comparado e a conta de 1ª série: 1,2 - 1,6 = 2,8 --quanta ingenuidade...). Já no Brasil, a "queda de 5,3 p.p." foi de um trimestre para outro. Mas eu nunca vi compararem variação da variação!!! Por esse "raciocínio", é como dizer que o país X está melhor que o Y porque no 3º tri teve queda de -7,0 e no 4º teve queda de -6,0 (porque "evoluiu" 1 p.p -- óbvia mentira, pois caiu mais 6% em relação ao anterior, que já havia caído 7%), enquanto o Y caiu de um crescimento de 4% para um crescimento de 3%... Incrível o que estão fazendo com a informação, é de dar vergonha, é algo muito pior que caso Paula, Escola Base e afins... Como você pode dar manchete com uma informação absolutamente falsa dessa... E, é preciso dizer, a fonte é a Agência Brasil, que peca demais por fazer matérias, pelo porte que a agência deveria ter, com uma fonte só... Cadê editor nessas horas??? E saber que o tal Paulo Francini ostenta os seguintes cargos: Diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da FIESP, membro do conselho e um dos fundadores do IEDI...

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.