quarta-feira, 30 de agosto de 2006

Queda de Helena é problema para Alckmin

O candidato do PSDB à presidência da República, Geraldo Alckmin, recebeu com alívio o levantamento do Datafolha divulgado ontem, que o colocou com 27% das intenções de voto contra 50% de Lula. Ainda é uma diferença grande, mas menor do que a apontada pelo instituto Sensus (51% a 19%). Porém, o Datafolha confirmou uma tendência que, a se confirmar nos próximos dias, pode ser fatal para Alckmin: a queda de Heloísa Helena. Se a candidata do PSOL não reagir, é lícito supor que termine a campanha com algo em torno de 5%, que deve ser o eleitorado genuinamente de extrema-esquerda do Brasil.

Hoje, Helô tem cerca de 10% porque conquistou uma parcela da burguesia que está inconformada com "tudo que está aí" e diz que votará na senadora alagoana. À medida que Heloísa explica seu projeto para o Brasil, no entanto, esse tipo de eleitor se assusta e repensa seu voto. A tendência é que parte do eleitorado de Heloísa migre para Alckmin, apenas para tentar derrotar Lula, e outra parcela acabe anulando ou votando em branco. Desta forma, mesmo que Alckmin seja beneficiado com votos de Helena, a desitratação da candidatura do PSOL favorece muito mais o presidente Lula, já que o pleito teria mais chances de acabar no primeiro turno.

Cesar Maia, que entende do riscado das pesquisas, andou dizendo que para haver segundo turno, Heloísa precisa subir para a casa dos 15%. A conta é simples: o prefeito do Rio não acredita que Lula caia abaixo dos 40% das intenções de voto. Os demais candidatos precisariam superar esta marca. Se ele crava Heloísa com 15% e Cristovam Buarque com 3%, Alckmin teria que chegar a 32% para empatar. Os demais nanicos garantiriam a sobra e levariam a disputa para o segundo turno. Se Heloísa ficar com 5%, Alckmin teria que virar o jogo sozinho, subir para 42%. Neste caso, levaria a eleição também no primeiro turno, mas talvez nem o próprio Alckmin aposte suas fichas em uma virada tão espetacular. Assim, quanto mais Heloísa Helena cair, melhor para Lula.

3 comentários:

  1. O que eu acho da queda de Heloísa Helena é o seguinte: ela agregou um voto geral de insatisfação com tudo o que está aí, mas não necessariamente o voto de concordância total em relação ao que ela fala e o que significa o seu projeto político. O seu crescimento é uma faca de dois gumes, pois quem votaria nela como protesto e não está tão certo de que deseja sua vitória, assusta-se com o seu crescimento e possibilidade dela chegar ao segundo turno. Já ouvi muitas vezes a frase: "Voto na Heloísa Helena desde que ela não ganhe ou chegue ao segundo turno!".
    Agora, quem ganha esses votos perdidos da Heloísa Helena? Talvez alguns migrem mesmo para o Lula, pois apesar de ser um voto de protesto com tudo o que está aí, é claro que não é a direita quem protesta votando na Heloísa, mas uma centro-esquerda que, nem por isso a quer no planalto!

    ResponderExcluir
  2. ESSE PESSOAL MORALISTA É MUITO ESCROTO, TRAIRAS AO EXTREMO, QUE NÃO ENCHERGA O PERIGO COMO SE FOSSE UMA CRIANÇA RECEM NASCIDA. ME ENOJAM PELO FATO DE PENSAREM 'A É ENTÃO NEM VC NEM EU, E AZEITE O POVO" NUNCA MAIS VOTAREI NESSA GENTE DO PCO,PSOL,PSTU...NÃO TEEM OLHOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA LUTA QUE ESTA POR CONTINUAR. É UMA VERGONHA ELA HH E SEU PROGRAMA ELEITORAL A FAZER DENUNCISMO CONTRA LULA. ELA TERA QUE LUTAR MUITO PARA ACREDITAREM NELA, ESTA ATE PERDENDO VOTOS. NÃO ACEITO O ANTOLHOS DE SE ALINHAR A DIREITA.

    ResponderExcluir
  3. Impossivel Lula perder, a máquina pública é mais demais. O aumento em 60% das familias no bolsa família no primeiro mês eleitoral é um dos exemplos mais gritantes do que o PT faz para manter-se no poder.

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.