quarta-feira, 23 de maio de 2007

Serra vs. USP: cresce a chance de dar chabu

Um bom texto sobre a ocupação da reitoria da Universidade de São Paulo foi escrito pelo jornalista Luiz Carlos Azenha no site Vi o Mundo e está reproduzido abaixo. A cada hora que passa, aumenta a chance da Polícia Militar iniciar uma operação de desocupação da reitoria. Se isto acontecer, José Serra (PSDB) vai entrar para a história como o único governador a autorizar, em período democrático, uma invasão na USP.

Não é pouca coisa. Serra quer ser presidente do Brasil e precisa decidir se vai concorrer como herdeiro das forças que apoiaram o golpe de 1964 , como bem lembrou o professor Ricardo Musse, ou se preferirá vestir o figurino de candidato pelo menos de centro-direita, deixando a truculência de lado. No ano passado, Geraldo Alckmin apostou em uma retórica udenista para tentar bater Lula, mas não teve a coragem de se apresentar como autêntico representante da direita. Se Serra mandar invadir a USP, terá feito a opção que seu correligionário não bancou.

A seguir, o texto de Azenha sobre a ocupação. Não é exatamente o que pensa este blog, mas vale a pena ler na íntegra:


Amotinados na USP: Geração do pente Flamengo se dá mal com a turma do You Tube

O governador José Serra é do tempo da lapiseira.
A lapiseira era colocada no bolso da camisa.
O governador José Serra é do tempo do pente.
Durante a campanha eleitoral, ele carregava um pente no bolso traseiro da calça.
Não deu para ver se era um pente Flamengo.
O Geraldo Alckmin é da geração do lenço branco.
Ele carrega um lenço para tirar o suor do rosto.
O Lula é da geração do ovo colorido, do torresmo e do rabo-de-galo.
É do tempo em que o bar da esquina marcava as compras na cadernetinha.
Pinga, pinga, pinga, pão, pinga, pinga, pinga, torresmo.
Eles são do tempo-do-onça.
A molecada é da geração do You Tube.
Os meninos de hoje são educados pela primeira geração feminista.
São adolescentes sensíveis.
Eles não ligam para o que sai nos jornais, quase não assistem tevê, se falam e se informam pela internet.
Eles conversam com cinco pessoas ao mesmo tempo no Messenger.
O pessoal do pente não entende a turma do Bob's do posto.
O pessoal do tempo do pente, hoje na terceira idade, só ia ao posto de gasolina abastecer o automóvel.
A molecada marca encontro na lanchonete do posto antes de ir para a balada.
A molecada do You Tube dança forró - antes isso era coisa de paraíba no Rio de Janeiro e de baiano em São Paulo.
(By the way, a economia mudou-se para São Paulo e o Rio de Janeiro está algumas horas atrasado)
A molecada do Messenger usa celular e laptop.
A turma do pente parou no Pac Man e na calculadora HP.
O senador Eduardo Suplicy - sim, com todos os defeitos que a mídia não cansa de ressaltar - é o único político que se antenou para o movimento estudantil.
Deve ser influência do Supla.
Do ponto-de-vista eleitoral a turma do inventor da Sociologia, o francês Fernando Henrique Cardoso, não tem motivo para se preocupar.
Olhem os sites do PT e do PCdoB, hoje.
Não falam da ocupação na USP.
O PCdoB é do tempo, com todo o respeito, do João Amazonas.
Cadê a bela Manuela?
A turma do pente quer botar a PM, com toda a sua competência, para lidar com estudantes dentro de um campus universitário.
É coisa de aloprado.
A turma da HP subestima a inteligência da molecada.
Os estudantes têm faro fino.
O país segue na direção em que eles apontam o bico.
A mídia golpista e - francamente - BURRA, despreza os futuros consumidores de seus "produtos".
Que, aliás, estão embolorados, com data de validade vencida.
A molecada tá antenada em Oaxaca, no Chávez e no vale-tudo do embuste que chamamos de democracia brasileira.
A molecada andou botando pra quebrar em Florianópolis e Salvador, por causa do preço da passagem de ônibus.
Eles são claros e objetivos em sua lista de reinvindicações.
Política se faz... fazendo política.
O pessoal do pente Flamengo quer fazer política com a PM.
Tá na hora do ex-presidente da UNE jogar fora aquela cartilha da Ação Popular.
É Flamengo vs. You Tube na Universidade de São Paulo.
Publicado em 23 de maio de 2007

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.