terça-feira, 22 de maio de 2007

Navalha 1 e 2 e o pânico em Brasília

A Operação Navalha conseguiu juntar em um único escândalo de corrupção todos os partidos relevantes do País. Não é à toa que as lideranças do DEM e PSDB estão contra a CPI – há peixes graúdos das duas agremiações envolvidos nas fraudes da Construtora Gautama. Se houver mesmo a tal Operação Navalha 2, para investigar as relações de políticos com outra empreiteira, é bastante provável que o escândalo também seja pluripartidário.

Pouca gente está dando muita bola para o assunto, mas a questão central das fraudes envolvendo empreiteiras e obras do poder Executivo, em qualquer esfera – federal, estadual ou municipal –, é a forma de execução do Orçamento, que permite tantas falcatruas. O Brasil já teve os anões do Orçamento, CPI sobre o tema, mas a legislação não mudou. Está mais do que na hora de repensar o atual modelo e criar mecanismos de controle mais rígidos para a execução orçamentária. Talvez a idéia de Orçamento impositivo, devidamente aprimorada, seja uma solução.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.