sexta-feira, 4 de maio de 2007

Ainda sobre Serra e o ensino superior

Um professor da Unicamp, crítico do governo Lula e amigo pessoal de José Serra, disse a este blog que o governador paulista já conseguiu uma proeza nesses primeiros meses no Palácio do Bandeirantes: relançar o movimento estudantil. Na Unicamp, explica, já há clima para uma greve "de protesto" dos estudantes contra as medidas tomadas pelo secretário do Ensino Superior, algo impensável até Serra tomar posse. O professor está espantado com a inabilidade de José Aristodemo Pinotti, o titular da pasta, pois nem durante o mandato de Geraldo Alckmin o clima ficou tão ruim.

É interessante notar que o movimento estudantil é em grande medida instrumentalizado por partidos da base do governo Lula, mas mesmo quando ficou claro que Alckmin seria o adversário do presidente na eleição presidencial, não houve por parte dos estudantes universitários o furor que se vê agora, na ocupação da USP e nos indicativos de greve, contra a política estadual para o ensino superior. Em 2006, os estudantes e professores universitários fizeram alguns poucos protestos contra o "Zeroaldo", alcunha que acabou não pegando e se referia ao repasse de 0% a mais para as universidades estaduais paulistas. Protestos existiram, portanto, mas a verdade é que Alckmin foi hábil e debelou o movimento cedendo em diversas reivindicações dos professores, incuindo aí um aumento salarial.

Com Serra no governo, o clima evoluiu rapidamente para uma verdadeira crise política sem que houvesse, na visão do professor e amigo do governador, um motivo claro para os atos autoritários perpetrados pela nova administração. Em outras palavras, o professor não vê nenhum benefício nas brigas compradas por Serra, apenas incompetência política, pura e simples...

Um comentário:

  1. “O jornalista Diogo Mainardi é mesmo um sujeito estranho. Vive reclamando dos processos que toma, inclusive de outros colegas, pelas barbarides que fala na televisão ou escreve na revista Veja.” Esse cara-de-pau Mainardi pensa que é dono do jornalismo no Brasil. Humildade e ética são ingredientes para um bom profissional. Já a “O Globo” reclama de CENSURA. Que moral tem O Globo para reclamar de uma suposta censura à mídia hoje se na época da Ditadura Militar de 64 que seqüestrou, torturou e assassinou milhares de brasileiros, o jornal foi conivente com a repressão? Segundo a jornalista Adriana Souza, “o Brasil tem a pior mídia do mundo”. Sobre a Folha de São Paulo, ela nunca foi censurada, gosta de posar de democrata e transparente, e tenta esconder esse período macabro (64) que revela todo o seu caráter de classe e a sua postura direitista. Protegida pela ditadura, a Folha cresceu, e durante os oito anos de FHC, ela nada falou contra as suspeitas privatizações e pregou a ortodoxia macroeconômica. Acesse o DESABAFO PAIS: http://desabafopais.blogspot.com

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.