quinta-feira, 17 de maio de 2007

Conforme antecipamos: criação de
empregos bate recorde novamente

A notícia abaixo, na versão da Agência Brasil, é apenas mais uma da série que está apenas começando: ao longo deste ano, o país vai assistir, mês a mês, a quebra de recordes na criação de empregos formais. Este blog já havia advertido sobre o fênomeno, com base em uma entrevista do professor da Unicamp Cláudio De Decca ao DCI. O especialista garante que o mercado de trabalho está em ebulição e vai ter excelentes números este ano, especialmente no que diz respeito à criação de empregos formais.

De Decca inclusive explicou a contradição aparente do emprego bater recorde e, eventualmente, o desemprego também aumentar, em números absolutos. Parece estranho, mas é simples: quando a geração de empregos aumenta, muita gente que não estava procurando emprego (estudantes e aposentados, por exemplo) acaba se animando a entrar no jogo. Na estatística fria das pesquisas, essas pessoas passam a ser consideradas desempregadas – antes eram apenas inativas, isto é, estavam fora da chamada População Economicamente Ativa (PEA). Leia a seguir a matéria da Agência Brasil.


Geração de empregos com carteira assinada alcança novo recorde em abril

Yara Aquino
Repórter da Agência Brasil

Brasília - O número de empregos com carteira assinada gerados no mês de abril é o maior já registrado para um único mês em toda a série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), iniciada em 1992. Foram 301,9 mil novos empregos. Nos primeiros quatro meses de 2007, houve acréscimo de mais de 700 mil postos formais, o que também significa o melhor desempenho para o período.

Para o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, uma das causas do número recorde são os reflexos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). "Você já tem várias empresas e indústrias se preparando para vários setores que estão implementando as obras do PAC, que estão começando a funcionar", destacou Lupi.

Em março, os números do Caged já indicavam o bom momento. Foram criados 146.141 novos postos de trabalho com carteira assinada no país. O número ficou abaixo do registrado em fevereiro, quando haviam sido criadas 148.019 novas vagas, entretanto o resultado de março foi o melhor para o mês de março na série histórica. Em comparação com março de 2006, a elevação chegou a 91%. Além disso, o acumulado no três primeiros meses também gerou o melhor primeiro trimestre da série histórica do Caged.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.