quarta-feira, 22 de abril de 2009

Senado também limita passagens

Abaixo, na versão da Agência Estado, a reação do Senado ao escândalo das passagens. Ligeiramente mais dura do que a da Câmara, mas também ainda com brecha para falcatruas. De toda maneira, antes tarde do que nunca: os limites são positivos, poderiam ser mais duros, mas já é um excelente começo. Agora a bola está com a imprensa e com a sociedade, que devem fiscalizar de perto o cumprimento das regras.

Senado limita uso da verba de passagens a senadores

Mais cedo, Câmara tomou a decisão de restringir uso da cota; assessores podem usar passagens

Rosa Costa - de O Estado de S.Paulo

BRASÍLIA - A exemplo do que foi decidido nesta quarta-feira, 22, pela Câmara, o Senado Federal também divulgou novas medidas para o uso da cota de passagens aéreas pelos parlamentares. A cota, que passa a ser chamada de verba de passagem, só poderá ser usada pelos senadores e seus assessores, sendo que esses últimos desde que informado o motivo, em voos nacionais.

Estão extintas as cotas suplementares para os membros da Mesa Diretora e lideranças partidárias. Ou seja, todos os senadores terão a mesma verba. O Senado também decidiu que não será válida a acumulação de um exercício financeiro para o seguinte.

A utilização da verba de passagem pelos senadores será publicada na página do Senado em até 90 dias, a contar do final deste mês. Ficou definido também que os parlamentares do Distrito Federal terão direito a verbas de mesmo valor que as recebidas pelos senadores do Estado de Goiás.

As novas regras foram anunciadas após reunião do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), com os líderes da Casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.