quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Um homem, um marketing

Eduardo Suplicy deu cartão vermelho para José Sarney. Ganhou as primeiras páginas dos jornais. Não há editor que despreze a foto do senador petista com um enorme cartão vermelho na mão, cara de bravo, clamando pela justiça, ética e correção política.

O problema todo é que tamanha ira cívica veio um pouco tarde e o passado do senador Suplicy não ajuda muito no convencimento da sinceridade de seus atos. Sim, porque Eduardo Suplicy é um gênio... do marketing. Consegue criar fatos, é mestre em demonstrações inusitadas de seu próprio talento pessoal. Mas dificilmente agrega para a compreensão do processo político propriamente dito.

Cartão vermelho, caminhãonzinho de tomates, coelho e tartaruga, pijama em acampamento sem-terra (ou presídio), para não falar dos raps ou das músicas em inglês que volta e meia entoa no plenário do Senado. São muitos os recuros do homem-show. O que tudo isto realmente significa em termos políticos são outros quinhentos. No máximo, dá para entender de quem os filhos artistas do senador herdaram o talento...

7 comentários:

  1. Mas toda essa palhaçada teve um lado bom: a fala de Heráclito Fortes, indicando CLARAMENTE o objetivo dessa "crise no senado": atingir Lula.

    ResponderExcluir
  2. Pedro P. Tardelli (jazz_petert)26 de agosto de 2009 11:35

    Sou admirador do senador pela longa carreira legislativa marcada por coerência e defensor das liberdades democráticas, apesar das pisadas de bola nessa história política (bobeiras, ou como o blogueiro afirma, marketing). Mas nesse episódio do cartão vermelho eu me senti envergonhado pelo oportunismo do senador. Jogou para a torcida e mostrou-se individualista em relação à questão de governabilidade da qual o seu partido detém o poder. O Mercadante, que sofre todo o desgaste por agir como homem do partido, será comparado incessantemente pela mídia com o Suplicy, de maneira bem antagônica. Ajudou ainda mais a elevar de tom o discurso sempre vago da oposição.

    ResponderExcluir
  3. è uma merda envelhecer... acabar fazendo papel ridículo... de papito... Lamentável. E assustador - semelhante a um velhinho na direção, o cara tem poder. Imbecil . Ele tem poder! Duplo Imbecil.
    As vitórias do passado - francamente... Imbecil

    ResponderExcluir
  4. Este clown nunca mais terá meu voto.
    frank

    ResponderExcluir
  5. É um palhaço mesmo!!!! imagine só fazer um papel ridículo daquele, expondo o governo dessa maneira. votar nele, nunca mais

    ResponderExcluir
  6. Suplicy governador leva SP pro 2º turno. E pro Senado Protogenes e Mercadante.

    ResponderExcluir
  7. desde o tempo que o senador era o queridinho do partido eu já o achava um palhaço. o tempo provou!

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.