sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Não é para ganhar

Lula vai impor ao PT a candidatura de Antonio Palocci ao governo de São Paulo e, ao mesmo tempo, tentará convencer Ciro Gomes a disputar também o Palácio dos Bandeirantes. Para quem acha a coisa meio estranha, a explicação é simples: a candidatura de Palocci não está sendo arquitetada para que ele vença as eleições - se vencer, tanto melhor, do ponto de vista do PT e de Lula, claro -, mas para que ele, Palocci, use a vitrine do horário eleitoral para refazer sua imagem pública. É uma jogada com olhos para o futuro, e não é nem 2014, é mais adiante. Com Ciro e Palocci na parada, porém, a coisa complicaria para o tucanato, dificilmente a eleição se decide no primeiro turno. É difícil bater o PSDB em terras paulistas? É sim, bastante, especialmente no interior - na capital e grandes cidades, outros partidos já dominaram e dominam a cena política. Mas não é impossível. Levar o pleito para o segundo turno, portanto, é pré-condição para tentar acabar com a dominação tucana em São Paulo. Lula, até agora, vai fazendo o seu jogo, tem ainda muita água para rolar debaixo da ponte, como diz o proibidíssimo chavão do jornalismo.

Um comentário:

  1. Boa análise. Palocci e Ciro levam realmente a coisa pro 2º turno. Mas discordo desse "mito" de forte favoritismo tucano em SP. Tem muito telhado de vidro aí. Uma campanha de marketing bem feita desmonta os frágeis argumentos e as pífias realizações tucanas, além do natural cansaço do eleitor com 16 anos de promessas tucanas. E é bom os caciques do PSB porem os pingos nos is se posicionando sem meio termos no campo de oposição a Serra, tratorando prefeitos e parlamentares cooptados a tempos pelo PSDB, a começar por São Bernardo. Mas acho q o Ciro não vai se arriscar se não tiver o apoio do PT desde o primeiro turno.

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.