quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Começou o acordão

O senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) negou com veemência, mas parece óbvio que a pizza já entrou no forno. Os fatos vão se encarregar de mostrar se houve ou não um grande acordo para preservar o impoluto parlamentar tucano, réu confesso de pelo menos um ilícito citado na representação apresentada ao Conselho de Ética, e o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). É possível até que haja mais algum teatrinho para a platéia não começar a jogar cascas de bananas e tomates nos atores - algo como o desarquivamento de algumas ações contra os dois e, mais à frente, o arquivamento ou votação e absolvição de suas excelências. Nada de novo. Afinal, Virgílio, Sarney, Tasso e Renan são tudo gente boa. Ou buona gente, como dizem os italianos.

Um comentário:

  1. Senatori, brava gente, qui e in Italia... com o regime berlusconiano senadores e deputados italianos poderiam fazer intercambio com os brasileiros. Talvez na Itália haja mais mulheres gostosas, pois o petit premier italiano gosta... Mas, quem sabe, poderia ser um incentivo para embelezar os bancos do congresso tupiniquim... seria cômico se não fosse trágico.

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.