quinta-feira, 21 de junho de 2007

Renan: a vingança será maligna?

Reportagem da Folha de S. Paulo desta quinta-feira informa que o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) está preparando um "saco de maldades" contra parlamentares que têm, digamos assim, situação parecida com a dele próprio – litígios com amantes, filhos fora do casamento e fontes de renda mal explicadas. Em Brasília, este tipo de informação está na boca do povo, praticamente todo jornalista que cobre o Congresso sabe o nome dos senadores e deputados que mantêm matriz e filial. É difícil essas coisas vazarem na imprensa porque existe uma cultura de tolerância entre os jornalistas sobre os aspectos privados da vida dos homens públicos e também em função de um certo corporativismo – muitas das namoradas são coleguinhas.

O presidente do Senado é um homem muito bem informado, foi ministro da Justiça na gestão de Fernando Henrique, e deve ter bons dossiês para vazar à imprensa. A estratégia de amedrontar os seus pares, porém, é condenável e parece revelar o desespero de Renan Calheiros, que nesta altura do processo já não pode renunciar ao mandato para preservar os direitos políticos. É evidente que se Renan contar tudo o que sabe, derruba meia República, mas também é pouco provável que ele conte tudo, até porque é um homem jovem, com ambições políticas, e não vai queimar todas as pontes atrás de si. Podem apostar: a vingança será seletiva. Maligna, mas seletiva...

Um comentário:

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.