quarta-feira, 27 de junho de 2007

Renan ganha ou perde com saída de Sibá?

Está havendo muita confusão nas interpretações em torno da renúncia de Sibá Machado à presidência do Conselho de Ética. Alguns analistas acham que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) poderia se favorecer da confusão criada com a saída de Sibá, que impediria a votação, hoje, do relatório do senador Epitácio Cafeteira (DEM-MA). Este tipo de análise até faria sentido se o objetivo primeiro de Renan fosse mesmo postergar a votação, mas o fato é que a estratégia inicial era votar o relatório e encerrar a questão nesta quarta-feira. Uma segunda estratégia de Renan realmente é postergar o seu processo, de preferência para mais de 90 dias, talvez na esperança de que algum novo escândalo faça a sociedade minimizar o anterior. Do ponto de vista de Renan, porém, este adiamento precisa ocorrer com algum aliado na presidência e relatoria do Conselho de Ética. A saída de Sibá deixa a presidência interinamente sob comando do DEM e não é certo que Calheiros consiga eleger em nome de sua preferência para a vaga. Já se fala em Jarbas Vasconcelos e Jefferson Péres para a presidência do Conselho, o que seria de fato o pior dos mundos para Calheiros. Nesta quarta-feira, muita coisa vai ficar mais clara a respeito de toda a confusão que cercou a saída de Sibá. A hipótese deste blog continua sendo a de que Renan mais perdeu do que ganhou com toda esta confusão no Conselho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.