segunda-feira, 4 de junho de 2007

PF investiga irmão de Lula?

A se confirmar a informação abaixo, do blog do jornalista Josias de Souza, da Folha de S. Paulo, restará provado que o ministro Tarso Genro de fato não tem controle sobre a Polícia Federal. A revista Veja já tentou provar que Vavá era um "lobista", mas a denúncia caiu no ridículo. Vavá é um simplório e o presidente Lula tem uma relação bastante distante de seus parentes. Se a PF não provar nada contra Genival Inácio da Silva, será Lula quem terá na manga mais uma boa argumentação para o seu bordão: "nunca antes neste país o irmão do presidente da República foi investigado". Mas talvez também fosse recomendável arrumar uma tarefa mais, digamos assim, tranquila para Tarso Genro.


PF faz busca e apreensão na casa de irmão de Lula

Deflagrada nesta segunda-feira (4), a Operação Xeque Mate, de combate ao contrabando de peças usadas na montagem de máquinas caça-níqueis, incluiu uma batida policial inusitada. Munida de autorização expedida pela Justiça Federal de Mato Grosso do Sul, a Polícia Federal realizou, em São Bernado do Campo (SP), uma missão de busca e apreensão na casa de Genival Inácio da Silva, o Vavá. Vem a ser o irmão mais velho do presidente da República.

As investigações foram iniciadas há seis meses. Não se sabe, por ora, quais as acusações que pesam contra Vavá. Uma equipe da PF esteve na casa dele no início da manhã. O blog conversou com um dos responsáveis pela investigação. Ele disse que não estava autorizado a informar o que foi, afinal, apreendido na casa do irmão do presidente.

A nova operação da PF resultou da junção de dois inquéritos. Num deles, apura-se o contrabando de equipamentos eletrônicos de máquinas caça-níqueis. Noutro, investiga-se a ação de uma quadrilha que, sob a liderança de policiais, comercializava armamentos ilegalmente e é acusada da prática de tortura.

Cerca de 600 agentes federais foram às ruas nesta segunda. Cumpriram 135 mandados judiciais –85 de prisão de suspeitos e 50 de busca e apreensão. Ao final do dia, haviam sido detidas 77 pessoas em seis unidades da federação: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rondônia, São Paulo e Distrito Federal. O irmão de Lula não está entre os detidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.