quinta-feira, 4 de junho de 2009

Se non è vero, è bene trovato...

O ditado italiano cai perfeitamente para a nota reproduzida abaixo, da lavra da repórter Renata Lo Prete, editora do Painel da Folha de S. Paulo. Palocci está, digamos assim, um pouco verde para a disputa do governo paulista.

O único reparo que pode ser feito ao raciocínio apresentado pela jornalista está na última linha: o ex-ministro da Fazenda não tem sotaque para a disputa da prefeitura da capital.

Ok, já foram eleitos para este mesmo cargo uma nordestina (sotaque fortíssimo), um carioca (e preto, por sinal, que disfarçava bem oss essesss sibilantesss), um libanês (outro com um jeito de falar todo peculiar) e até um fanho (solteiro e sem filhos, como alertou sua rival na eleição). Tudo isto é verdade, mas qualquer marqueteiro vai perceber que a cidade não elegeria jamais um candidato que diz "porrrteira", "jarrrdim" ou "arrrtista". Não, nem o Palocci nem o Zé Dirrceu teriam chances na capital. Alguém da Mooca aconselharia, muito sabiamente: "terminariam atrás do Walter Feldman, meu..."
A seguir, a notinha de Renata Lo Prete.

Palocci revisitado

Lula, que mais de uma vez manifestou a colaboradores o desejo de ver Antonio Palocci disputar o governo de São Paulo, tem agora um novo roteiro na cabeça para seu ex-ministro da Fazenda. Se o STF arquivar a denúncia contra Palocci no caso da quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo, o primeiro passo seria reincorporá-lo ao governo numa pasta de "médio porte", na qual ficaria até a desincompatibilização de Dilma Rousseff, no final de março de 2010. Aí assumiria a Casa Civil. Nessa posição, em caso de vitória da candidata do PT, seria o "homem de Lula" na transição -e eventualmente no futuro governo. No aspecto eleitoral, a ideia é que o processo pavimente a candidatura a prefeito de São Paulo em 2012.

2 comentários:

  1. Este ditado não é italiano. Parece que é utilizado só pelos italianos que vivem no exterior, tipo Bélgica (ou no Brasil!), tendo mais sentido em francés. Em italiano teria sentido se fosse "se non è vero, è ben pensato". Trovato, não tem sentido mesmo. Como o italiano é maltratado no Brasil!

    ResponderExcluir
  2. Carla, desculpe, mas morei anos na Itália e conheço bem a língua. Trata-se de uma frase de Giordano Bruno que é, sim, empregada por italianos. Consta de diversas listas de provérbios locais. Sua confusão decorre provavelmente de um blog que conta essa história da Bélgica. Não acredite em tudo que vai pela internet, o ditado existe é utilizado por nativos da Itália.

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.