quarta-feira, 11 de julho de 2007

Um teste para o Congresso

Se o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) não presidir a sessão desta noite do Congresso Nacional, na qual deverá ser votada a Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2008, na prática ele não será mais presidente do Senado da República. Um presidente que não preside, apenas aparece em sessões solenes e outros eventos em que nenhum assunto relevante é decidido, não pode mesmo ser chamado de presidente. Calheiros já perdeu as condições políticas para comandar a Casa Alta do legislativo brasileiro e parece interessado agora em sair do cargo com o maior capital político possível, daí as recentes e constantes ameaças aos colegas. Cada um sabe o que é melhor para si, mas o risco de Renan sair menor do que calcula permanecendo no cargo não é pequeno. O tempo vai dizer quem tem razão, ele ou seus críticos (e parte dos aliados que o aconselham).

Do ponto de vista do Congresso, a sessão de hoje será um marco. Alguém vai dizer, ainda que Calheiros não esteja presente, poucas e boas para o presidente do Senado. Mais importante do que os discursos em si é observar a reação dos congressistas. Severino Cavalcanti na prática caiu no dia em que Fernando Gabeira o desafiou no Plenário, embora só tenha renunciado um bom tempo depois. Para quem deseja ver o circo pegando fogo, basta ligar nas TVs Câmara ou Senado às 19h30. Com Renan ou sem Renan, a emoção está garantida. Parecido com isto, só os jogos do Brasil com o Doni no gol...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.