quarta-feira, 18 de julho de 2007

Surfando em cadáveres 3: a culpa é da pista

Os blogs de direita começam a ficar um tanto contrariados com alguns fatos que insistem em não bater com a tese de que o presidente Lula é o grande culpado pelo acidente com o avião da TAM em Congonhas.

Ontem, logo após a tragédia, a direita, animadíssima com o acontecimento, já tinha uma tese pronta para explicar o que ocorreu em São Paulo: a "culpa" só podia ser da pista de Congonhas, recém-reformada, que não recebeu o chamado "grooving", conjunto de sulcos no asfalto que ajuda a evitar alagamentos. Logo, se o problema era da pista, a "culpa" então seria da Infraero e, por consequência, do governo federal. Em última instância, de Luiz Inácio Lula da Silva, ele mesmo.

O problema é que hoje o presidente da TAM disse que a falta de grooving não interfere na aderência da aeronave. Disse mais: a medição da quantidade de água na pista havia sido feita logo antes do pouso do avião que se acidentou.

É chato, mas não foi a pista. Frustrado, o direitoso Reinaldo Azevedo insinua que o presidente da TAM quer "preservar" seu negócio e não falaria mal da pista para não "inviabilizar" Congonhas. O Reinaldo podia pesquisar no Google antes de falar besteira: diversos aeroportos do mundo não utilizam o grooving e nem por isto reportam acidentes.

Surfar em cadáveres para politizar uma tragédia é muito feio. Mas ainda mais feio é usar argumentos capciosos e incorretos para surfar nos cadáveres. No fim, revela não apenas falta de caráter, mas de competência também.

3 comentários:

  1. Entrelinhas, você cita tanto o Reinaldo Azevedo. Por que? Está querendo ser citado no Blog dele?

    ResponderExcluir
  2. Não por isto, apenas por que ele é um jornalista que este blog respeita.

    ResponderExcluir
  3. Antonio Lyra Filho19 de julho de 2007 10:08

    Quando penso em mal jornalismo, me lembro de Reinaldo Azevedo. Figura nojenta, que em vez de informar, só faz criticar e de forma despudurada.
    Evite falar neste escroque.

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.