quarta-feira, 25 de julho de 2007

Jobim foi boa escolha para a Defesa

Waldir Pires fez o que este blog aconselhou: pegou o seu banquinho e saiu de mansinho. Um pouco tarde, é bem verdade.

A escolha do presidente Lula para o substituto não chega a surpreender e tem várias vantagens. Primeiro, Nelson Jobim é um homem com excelente trânsito no tucanato. Isto deve ajudar a serenar os ânimos e evitar a politização da crise aérea.

Jobim possuiu os requisitos básicos para assumir a Defesa: é experiente - já presidiu um ninho de cobras chamado Supremo Tribunal Federa e foi ministro da Justiça na gestão de Fernando Henrique Cardoso. Com este perfil, portanto, terá comando sobre as três Forças Armadas e boa capacidade de enfrentar os lobistas das companhias aéreas.

Além de todos esses fatores, Jobim é um homem ambicioso. O desafio da crise aérea é grande, mas se o ministro conseguir solucioná-lo, vai se tornar um candidato fortíssimo à sucessão de Lula, pelo PMDB. Não depende só dele, mas a verdade é que a faca e o queijo estão nas mãos de Nelson Jobim.

2 comentários:

  1. E' lamentavel que o Lula tenha "queimado" um figurada tao honrada como o Waldir Pires.
    Ele tinha feito um trabalho excepional na CGU.
    Waldir Pires, tambem tem sua culpa, deveria ter tido a grandeza de recusar o ministerio da defesa.

    ResponderExcluir
  2. O Waldir Pires, por mais honrado que seja (e é), também deve ter lá a sua pontinha de revanchismo, como todas as pessoas normais, e não conseguiria resistir à tentação de ser o comandante dos (mesmos) militares que o defenestraram em 64.

    Malvadeza do Lula, que o tentou. :-)

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.