quinta-feira, 30 de julho de 2009

Mais detalhes sobre o novo jornal econômico

O jornal gaúcho Zero Hora deu hoje uma nota sobre o projeto do novo jornal de economia brasileiro que o grupo português Ongoing Strategy está preparando. Outra matéria com detalhes sobre a operação saiu no site Portugal Digital. As duas vão reproduzidas abaixo e mantêm o suspense: quem seria o sócio brasileiro da Ongoing no novo jornal? Afinal, a legislação não permite que estrangeiros detenham mais de 30% do capital de empresas jornalísticas...

Do Zero Hora:
RSVIP | MARIANA BERTOLUCCI
GIGANTE PORTUGUÊS
Acoluna soube com exclusividade que um grupo português deve lançar até o final desse ano uma nova plataforma multimídia de finanças, economia e negócios para ocupar o espaço da Gazeta Mercantil, que já vinha disputando mercado com o Valor Econômico. A Ongoing Strategy Investments, holding da Ongoing Strategy Company, presidida por Nuno Vasconcelos, pertence a uma família que desde o começo do século comanda uma enorme gama de negócios em Portugal. Hoje, é a maior controladora individual da Portugal Telecom, dona da Vivo no Brasil. Também são sócios do Banco Espirito Santo.
***
Em julho de 2008, os gigantes portugueses compraram o Económico, que publica, em Portugal, dois jornais de economia e negócios: Diário Económico e Semanário Económico. Também em 2008, a empresa adquiriu 6% do maior grupo de comunicação de Portugal, o Impresa, do empresário Francisco Pinto Balsemão, que criou, em 1972, o que é hoje o maior jornal de Portugal, o Expresso, com três canais de TV a cabo, uma TV aberta e mais de 30 revistas. O Económico é hoje a maior plataforma de businesss de Portugal, desde a compra do grupo italiano RCS Media Group, que comanda alguns dos maiores jornais da Europa e da América. A novidade deve ser lançada aqui Brasil em novembro e Vasconcelos está tratando diretamente do assunto.


Do site Portugal Digital:

Grupo português de mídia lança novo jornal no Brasil

Proprietários do "Diário Económico" preparam lançamento de novo projeto em setembro que poderá preencher o espaço que era da "Gazeta Mercantil".

Da Redação

Brasília - O "Diário Económico", de Lisboa, prepara-se para dar um salto para o mercado brasileiro, com o lançamento de um jornal de economia, que poderá chegar ao público já em setembro. A nova publicação, cujo nome é ainda desconhecido, deverá ser liderada por Ricardo Galuppo, jornalista que já passou pela Veja, Exame, Forbes, entre outras.
Este é o nome avançado para o novo projeto editorial do "Diário Económico" no Brasil, segundo informações do 'site' "Jornalistas & Cia". Mais definições, como o desenho do novo jornal e a montagem de equipe, devem ter novos desenvolvimentos a partir da próxima semana.
Segundo a revista "Isto É Dinheiro", o arranque do novo jornal está previsto para setembro. Porém, não há ainda detalhes sobre a rede de distribuição, tiragem ou outras características.
O "Diário Económico" é hoje o principal jornal diário de economia em Portugal. Com distribuição de segunda-feira a sábado, é propriedade da Ongoing Strategy Investment, uma empresa de capital privado controlada desde 2004 pelo empresário Nuno Vasconcellos.
Além do "Diário Económico", a portuguesa Ongoing detém investimentos noutras áreas de influência, como participações no Banco Espírito Santo, no grupo de mídia português Impresa e na Zon Multimedia (telecomunicações), entre outras.

O surgimento de um novo jornal de economia no Brasil poderá vir preencher o espaço deixado livre com o desaparecimento da "Gazeta Mercantil", que chegou a ser um dos mais prestigiados jornais brasileiros, com foco em assuntos econômicos. Os problemas financeiros acumulados ao longo dos últimos anos levaram ao encerramento do jornal, que tinha como principal concorrente o "Valor Econômico".

Agora esse lugar poderá ser preenchido por um novo título com acionistas lusos. O Brasil já foi alvo de investidas de outros grupos portugueses de mídia. É o caso da Cofina, detentora de títulos como o "Correio da Manhã", "Record" e "Jornal de Negócios" (concorrente do "Diário Económico"), que lançou no mercado de São Paulo o jornal grátis "Destak", distribuído inicialmente em Portugal, nos grandes centros urbanos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.