terça-feira, 14 de julho de 2009

Cadê a recessão que estava aqui (2)?

Estranha recessão, esta, na qual o comércio cresce 4% em relação a um mês bombástico de um ano de boom econômico. Abaixo, matéria do portal UOL a respeito dos dados divulgados hoje.

Após dois meses de queda, vendas no varejo crescem 4% e superam previsões

Da Redação
, em São Paulo
As vendas no varejo brasileiro subiram 4% em maio na comparação com igual período do passado e 0,8% em relação a abril, após dois meses seguidos de queda, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta terça-feira.
Economistas consultados pela agência de informações Reuters previam um crescimento mês a mês de 0,4% e uma alta de 3% sobre maio de 2008.
No comparativo com maio de 2008, o volume de vendas foi maior em sete das dez atividades pesquisadas, com destaque para Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, que verificaram acréscimo de 6,7%, o maior impacto na formação da taxa global do varejo.
Já na passagem de abril para maio, o levantamento mostra que sete das oito atividades do varejo verificaram elevação do volume de vendas, como Combustíveis e lubrificantes (+3,7%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico, (+2,9%) e Livros, jornais, revistas e papelaria (+2,2%). Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo cresceram apenas 0,1%.
Com relação à receita nominal de vendas, foi verificada ampliação de 0,8% em maio, seguindo alta de 0,2% em abril e 0,1% em março. Comparada a maio do ano passado, a expansão apurada ficou em 8,9%. No acumulado do ano, houve incremento de 10,3%. Em 12 meses, a alta correspondeu a 12,7%.
No comércio varejista ampliado - varejo e mais as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção -, as vendas tiveram expansão de 3,7% e a receita nominal subiu 4,4% no mês em maio.
Levando em conta o comparativo com maio de 2008, o IBGE observou ampliação de 3,3% e de 4,9%, na ordem. No acumulado do ano, as taxas foram positivas em 2,7% e 5,1%, respectivamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.