quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Ombudsman adverte: Folha protege Serra

O ombudsman da Folha de S. Paulo mais uma vez cumpre a sua função de defensor dos leitores e avisa que a redação do diário da Barão de Limeira não está conseguindo disfarçar as manobras para poupar o governador José Serra (PSDB) de qualquer tipo de má notícia. O que vai abaixo é o comentário de Mário Magalhães, o melhor ombudsman que o jornal já teve, sobre a vitória de José Aníbal na eleição para líder da bancada tucana na Câmara Federal. Do jeito que a coisa vai, é melhor trocar o logotipo para Folha de S. Serra...

Derrota ocultada

Título do alto da pág. A8: "Vitória de Aníbal fortalece Alckmin".

Título do "Estado": "Candidato de Alckmin bate o de Serra na Câmara".

Do "Globo": "Aníbal vence no PSDB e derrota grupo de Serra".

José Serra é o governador de São Paulo.

O grande defensor, no PSDB, do apoio à candidatura de Kassab (DEM) a prefeito de São Paulo.

É presidenciável.

Mais que a vitória de Alckmin, o que ocorreu ontem foi uma derrota de Serra.

Mesmo que se divirja dessa avaliação, o título deveria incorporar a constatação inescapável: Serra perdeu.

A propósito, a reportagem informa até o placar da votação na bancada tucana de Minas. Mas não na de São Paulo.

2 comentários:

  1. A Folha de S. Paulo proteje Serra da mesma forma que o Mino Carta Capital proteje Lula. Seria bom para o Brasil dar uma guinada mais à esquerda com Serra presidente.

    ResponderExcluir
  2. Discordando amplamente de nosso amigos Carlos Eduardo...Não ...Serra não é uma guinada mais a esquerda.Vale à pena observar o que acontece nas estruturas do governo estadual.Na educação vemos o amplo desmonte das estruturas, há muito o governo neo liberal do PSDB, com a desculpa frouxa de que vai reduzir a máquina do governo, contrata em regime temporário profisionais na area.O que isso contribui? Em nada...é uma corrida insana de muitos profesores para as delegacias de ensino no inicio do ano.Nunca se sabe se este docente irá continuar seu trabalho na mesma unidade escolar.Um rodizio insano, que não promove estabilidade para que as gestões escolares consigam desenvolver um projeto pedagógico que fortaleça o ensino...um vácuo constante. O sistema prisional é outro exemplo. Muitos presidios estão sendo gerenciados por ONGs e n~]ao se vê desenvolvimento algum nesta area, o dinheiro vai escoando sem resultados. Isso acontecerá sempre enquanto o estado não assumir sua condição de resposavél pelo desenvolvimento social. Elengar orgãos não governamentais para fazer a função que é originalmente do estado não esta peresentando resultados satisfatóris...Observe a secretaria estadual da cultura...uma loucura sem clareza de projetos...optaram por uma politica de criação de eventos pontuais, e não por projetos de desenvolvimento na area. Observar as condiçoes estruturais dos poucos teatros estatais já dá uma visão do que acontece... É um movimento de paralização impressionante, que apenas os que não estão envolvidos e atentos não conseguem ver.A grande dificuldade é a apresentação de politicas públicas de desenvolvimento em todas as areas. E fica claro a falta de envolvimento e preparo para apresentar essas propostas, pois a bola da vez é procurar todo o tipo de informação que desnortei os diversos movimentos sociais que se envolvem para debates e prpostas sérias...

    Sobre o sr. Jose Serra, tenho apenas que dizer...não cumpriu com a promessa de permanecer no governo da capital paulista, não cumprirá a promessa de apoiar Kassab...seu interesse é apenas seu legado de poder...Com a frase :

    "Todos os que prestam no PSDB estão no meu governo " dita por ele em resposta as criticas de ter retirado o staf de Geraldo do governo, ele deu um tapa na cara de muitos do psdb.Agora resta saber se temos estoque suficiente de óleo de peroba para presentear este senhor...

    QUE VOE AS PENAS!

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.