domingo, 8 de fevereiro de 2009

Está criado o PSDB do B

A sacada é do Blog do Josias, na nota reproduzida abaixo. Na verdade, as alas deveriam se chamar "PSDB do S" e "PSDB do A". Quem não entender aperte a tecla SAP. Ou leia as notas escritas sábado e sexta-feira, aqui e aqui.

‘PSDBdoB’ diz a FHC que formará ‘bancada paralela’

Os dissidentes vão ao presidente de honra do PSDB para informar a ele que decidiram se organizar na Câmara como uma “bancada paralela”.

Recusam-se a aceitar a ‘reliderança’ de José Aníbal, ratificada por 37 dos 58 deputados tucanos na última quarta-feira (4).

O ‘PSDBdoB’ soma 19 deputados. Coube a Paulo Renato Souza (SP), que almejava a cadeira de Aníbal, agendar a conversa com FHC, marcada para as 16h.

Ao longo da semana, o grupo pretende se reunir também com o senador Sérgio Guerra (PE), presidente nacional do PSDB.

De novo, a ala insurreta do tucanato vai comunicar ao dirigente máximo do partido que, sob Aníbal, atuará à revelia da orientação da liderança.

Na sexta (6), José Aníbal dera de ombros para a inssurreição. Atribuíra o alarido a uma “dor de cotovelo”. E dera a confusão por encerrada.

A julgar pelo que disse Paulo Renato ao blog na noite deste sábado (7), a encrenca está longe de ser dissolvida. Pior: tende a aprofundar-se.

O repórter perguntou ao deputado se a rebeldia do pedaço dissidente do tucanato teria reflexos nas votações da bancada no plenário da Câmara.

E Paulo Renato: “Não tenha dúvida. Faremos reuniões semanais, às terças-feiras, para planejar a nossa atuação...”

“...Funcionaremos como uma bancada paralela. Em algumas votações, estaremos com o líder. Em outras votações, estaremos noutra posição”.

Gustavo Fruet (PR), outro expoente do PSDB revolto, ecoou Paulo Renato: “Deve haver problemas. Veremos, objetivamente quais os temas que serão votados...”

“...Muitas questões são consensuais dentro da bancada. Outras não. Nossa posição vai depender do conteúdo da agenda da Câmara”.

E se FHC e Sérgio Guerra, donos de perfis acomodatícios, tentarem jogar panos quentes sobre a refrega?

“Não tem jeito”, diz Paulo Renato. “A razão está do nosso lado. Não estamos ferindo nenhum princípio partidário. Pelo contrário.”

Segundo o deputado, o ‘PSDBdoB’ prepara um recurso contra a reeleição de Aníbal. O documento será encaminhado à Executiva do partido.

Alega-se que a bancada aprovara uma mudança estatutária que vedava a reeleição do líder para períodos subseqüentes. Fixara-se o revezamento anual.

Aníbal alega que essa mudança não foi efetivada. Sustenta que não há impedimento formal à recondução.

O encontro desta segunda embrulhará FHC em maus lençóis. Tem enorme apreço por Paulo Renato, ministro da Educação de seu governo.

Mas dá-se às mil maravilhas também com José Aníbal, que, durante seu governo, presidiu o PSDB.

A diferença que FHC estabelece entre os dois protagonistas da discórdia é imperceptível a olho nu. De resto, não é de seu feitio entrar em bola dividida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.