terça-feira, 24 de outubro de 2006

Jorge Rodini: a importância dos debates

Em mais uma colaboração para o Entrelinhas, Jorge Rodini, diretor do instituto Engrácia Garcia de pesquisas envia um comentário sobre o debate de ontem entre Geraldo Alckmin e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para Rodini, os debates podem, sim, mudar uma eleição. Leia abaixo o comentário do especialista.


O debate entre os presidenciáveis, ontem, na Rede Record foi o melhor dos três realizados neste segundo turno. Um debate pode, sim, mudar os caminhos de umna campanha eleitoral. Muito mais pelo que os candidatos não dizem do que pelo que afirmam. Alckmin, ontem, foi incisivo sem ser grosseiro. Conseguiu atacar, nas entrelinhas. Foi programático, sem ser muito detalhista. Lula tentou manter seu enorme eleitorado usando emoção quando falava do Nordeste. Foi cansativo na repetição de algumas expressões e tropeçou na gramática em várias situações.

Alckmin pareceu um pouco nervoso no início e Lula irônico demais no meio do debate.
Alckmin achou o tom e Lula está muito senhor de si, extremamente confiante na vitória.

Engraçado alguém ainda achar que debate não tem tanta importância. Claro que tem: dois homens que almejam governar o Brasil têm muito o que aprender com este fantástico elemento democrático, tão esperado pelo povo brasileiro. Que se preparem ainda mais para o grande debate de idéias e programas da Rede Globo, na quinta-fiera.

3 comentários:

  1. O problema do Alckmin, como bem me disseram motoristas de táxi com quem consersei nos últimos dias, é que ele não transmite sinceridade. Me parece que boa parte do eleitorado vê os debates para perceber, intuir, a "alma" do candidato, e nisso a imagem da tevê ao vivo é implacável, não para ser convencido pela retórica do discurso. Retórica de persuasão é coisa para especialistas de comunicação, não para o eleitor comum. Como me disse um taxista, o Alckmin "parece um boneco de corda". Concordo, ser espontâneo na frente de uma câmera não é para qualquer um (sei disso por experiência própria). Exige confiança nas próprias idéias, rapidez de raciocínio, inteligência, intuição, argúcia, senso de humor,para improvisar. Isso o Lula tem a fartar.

    ResponderExcluir
  2. De minha parte nunca votei em candidato que ganha debate. O que conta é sua história e o grupo que lhe dá sustentação política.

    Não estou elegendo apresentadores de TV.

    ResponderExcluir
  3. Perfeita a comparação do Alckmim com o boneco de corda!

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.