segunda-feira, 18 de setembro de 2006

Só Freud pode mudar a eleição brasileira

Quando saiu a última pesquisa do instituto Datafolha do dia 5 de setembro, data em que os tucanos previam a reação de Geraldo Alckmin nas pesquisas, este blog, em face dos numeros favoráveis a Lula, escreveu o seguinte: "Faltam apenas 25 dias para a eleição. Lula só perderá o pleito se inventar uma besteira sem precedentes na história política brasileira. A verdade é que Alckmin não tem mais o que fazer para mudar o rumo da história. Só um erro de Lula é capaz de modificar o cenário atual." Agora, dia 18 de setembro, faltando 12 dias para o pleito, este blog reitera a análise feita no dia 5 e acrescenta: nesta altura do campeonato, só Freud será capaz não de explicar, mas de mudar os rumos da eleição presidencial.

Para quem "chegou agora", como diriam os velhos locutores de futebol, vamos traduzir: na sexta-feira, a revista IstoÉ publicou uma entrevista bombástica com Luiz Antonio e Darci Vedoin em que eles acusam José Serra de ter participado do esquema dos sanguessugas. Um dia antes, porém, a Polícia Federal já prendia em São Paulo o advogado Gedimar Passos e o empresário Valdebran Padilha, que supostamente negociavam com os Vedoin a compra de provas do envolvimento de Serra na máfia das ambulâncias. Gedimar e Valdebran seriam ligados ao PT e estavam com R$ 1,7 milhão em espécie, para pagar as provas. Na sexta, Luiz Antonio Vedoin também foi preso. A questão passou a ser então de onde veio o dinheiro. Valdebran falou em "alguém do PT paulista" e Gedimar disse que foi um tal de "Freud ou Froidi". A PF investiga se este tal de Freud não é Freud Godoy, assessor da presidência da República e chefe da segurança da primeira-dama, dona Marisa Letícia.

Ainda é cedo para dizer que o Freud de Gedimar é o mesmo Freud da presidência. Também não dá para descartar que Gedimar e Valdebran estejam tentando apenas passar a culpa para frente. Os petistas mais paranóicos já falam em uma "armação" de Serra no episódio, mas, francamente... Serra pode ser tudo, mas burro não é: montar um plano em que a peça central é uma acusação a si próprio supera todos os limites de maquiavelismo. Não é uma armação de Serra, certamente, mas pode haver mais gente envolvida tentando agora passar a conta para o colo de Lula.

Se, no entanto, o Freud da presidência realmente foi o responsável pela negociação, aí o caldo entorna, mesmo que o presidente Lula nada tenha a ver com o que fez o seu assessor. Será um segundo Gregório Fortunato na história brasileira. A solução poderá não ser igual – a história se repete como farsa –, mas, da mesma maneira que ocorreu nos casos do caseiro e do mensalão, o presidente sairá bastante desgastado com mais este episódio.

Nesta altura do campeonato, portanto, é lícito dizer que Freud pode, sim, mudar o rumo da história. Falta pouco tempo para a eleição, é possível que Lula vença no primeiro turno e, caso Freud seja mesmo Freud Godoy, consiga abafar o episódio no cenário pós-vitória, sempre euforicamente favorável ao vitorioso. Também é possível que Lula vença e Freud continue a lhe atormentar a alma no próximo mandato. E, por fim, é possível que o pai da psicanálise acabe dando a mãozinha que Geraldo Alckmin precisava para levar a eleição para o segundo turno. Façam as suas apostas...

2 comentários:

  1. seria muita burrice achar e comprar por essa fortuna um docie imundo e velho, portanto é mais facil o tse continuar colaborando com o golpismo doque essa musica ser tocada e seria burrice demais ate eu deixaria de votar se isto for verdade e esse tal de freud seria burro e perderia o emprego. lula lá

    ResponderExcluir
  2. Já ouviram a entrevista do advogado do PSDB ao Paulo Henrique Amorim, no ConversaAfiada, do IG, explicando a razão do processo que o PSDB-PFL entraram no TSE contra Lula, Thomaz Bastos, Berzoini e os cinco "envolvidos" no caso do dossiê: Hilário! O advogado não consegue responder numa frase de duas linhas o motivo alegado por ele mesmo! Ao final de várias perguntas, acabo concluindo que estão acusando Lula e etc de uso de poder político e econômico para interferir no processo eleitoral por causa da compra do dossiê! Pode? Com a eleição ganha, por que Lula e companhia iam comprar um dossiê fajuto? E o advogado que não consegue explicar isso numa frase?!

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.