sexta-feira, 29 de setembro de 2006

O vencedor do debate foi... Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi o grande vencedor do debate da TV Globo, ao não comparecer ao programa. As pesquisas qualitativas devem estar mostrando que o prejuízo de Lula ao não aparecer foi muito menor do que se estivesse lá, tendo que se deparar com a agressividade da candidata do PSOL, Heloísa Helena.

Alckmin simplesmente perdeu a chance de perguntar a Lula – se atrapalhou na sua vez. E teve, de resto, um desempenho sofrível no programa, de novo excessivamente robotizado, sem carisma ou garra para mostrar que tem cara de presidente da República.

Cristovam Buarque também bateu bastante em Lula, mas é até complicado entender o que ele diz, pelos problemas de dicção que apresenta. E entendendo as palavras, ainda assim é difícil acompanhar o raciocínio do pedetista...

A verdade é que apenas Heloísa Helena fala a linguagem do povo e era justamente ela que Lula precisava evitar. Se a TV Globo não aprontar outra "edição" do debate no Jornal Nacional, como fez em 1989, dificilmente Lula perde a eleição neste domingo.

A campanha acabou e agora é a vez de falar o povo brasileiro. A vitória de Lula nas urnas no dia 1° de outubro é certa, resta saber se ele conseguirá levar a eleição no primeiro turno ou terá de enfrentar um segundo escrutínio, que pode lhe complicar bastante a reeleição. No momento, porém, o blog continua apostando em uma vitória de Lula já no domingo, por pequena margem, é bem verdade, mas suficiente para desarmar o golpismo das forças de direita.

3 comentários:

  1. Se houve ganhador do debate, não ficou claro. Mas é certo que o grande perdedor foi o eleitor, que não pode ver, uma vez sequer durante toda a campanha, o candidato a reeleição debater com seus adversários. Tudo bem, a Globo leva a pecha histórica de ter favorecido Collor na edição que fez, mas houve outras oportunidades que o presidente poderia estar presente. Uma pena. Tudo o que as pessoas pensavam que poderia haver nesse governo era corrupção. No entanto, foram pelo menos três grandes casos: sanguessugas, mensalão e dossiê. O presidente devia uma explicação. Deveria ao menos, com dignidade, dar uma respostas aos seus eleitores, mesmo que fosse a de que não sabia de nada. E se tem mais conquistas a seu favor, que mereçam a sua reeleição, que fosse expô-las. Saudades do Lula que parecia não temer nada...
    A indignação de Alckmin quanto à ausência de Lula foi oportuna. Pena que ninguém o lembrou que o candidato do seu partido que lidera as pesquisas para o governo de Minas, Aécio Neves, dois dias antes deixou o púpito vazio, enquanto a apresentadora fazia uma entrevista solitária com Nilmário Miranda, do PT.
    Quanto ao Cristóvam Buarque, se houve algum candidato que tenha deixado uma mensagem marcada durante todo esse processo, foi ele. A despeito de possíveis falhas de dicção que o julgaram ter. Já Heloísa Helena fechou a campanha dando um show de determinação e de fidelidade à sua trajetória política, sem entrar no mérito das suas propostas e ideais.

    ResponderExcluir
  2. Luiz,
    desculpe, mas o povo não consegue entender metade do que a empolada HH fala. "Peças íntimas do vestuário masculino". O que é isso?

    Ela tem um discurso para a esquerda universitária e nada mais. Se vale apenas do tom indignado que agrada a alguns.

    ResponderExcluir
  3. marcos ramón filho29 de setembro de 2006 16:45

    Estou com a OAB, foi um deserviço para a população. É muito estranho perguntar para quem não estar e atacar que não estar, só a Globo mesmo.

    Abraços!!

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.