quarta-feira, 18 de abril de 2007

Nomeação de Luciano Coutinho para o
BNDES é vitória da ala esquerda do governo

Os militantes da esquerda do PT adoram dizer que o governo Lula "está em disputa", o que na verdade é uma forma de justificar os vários acordos feitos pelo presidente com forças de centro e até de direita no espectro político. Os petistas mais radicais não engolem, por exemplo, os ministros Reinhold Stephanes (Agricultura), Márcio Fortes (Cidades) e muito menos o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. Se disputa há, pelo menos no que diz respeito à política econômica a esquerda tem perdido todas. Nesta quarta-feira, porém, o presidente Lula decidiu manter o BNDES nas mãos das alas mais críticas à política econômica e nomeou o economista Luciano Coutinho (foto) para a presidência do banco. Não é pouca coisa: o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social é o principal instrumento de financiamento do governo federal e a alternativa a Luciano era um ex-vice-presidente do banco Santander, indicado pelo ministro Miguel Jorge. Entre o Santander e a Unicamp, Lula escolheu ficou com a segunda opção e o nome agradou até mesmo gente da extrema esquerda não-petista.

Um comentário:

  1. Um governo esquizofrênico, como disse o Paul Singer. Natural quando não se tem maioria no Congresso.

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.