quarta-feira, 4 de abril de 2007

Apagão ofusca bons números da economia

A notícia abaixo, na versão da Folha Online de ontem, certamente passou despercebida de muita gente em função da crise do controle aéreo nacional. A venda de carros é um considerado um índice importante para medir os humores da economia. Ao que parece, portanto, no mundo real as coisas estão andando bem: a taxa de juros está caindo e as pessoas estão voltando a consumir, criando um círculo virtuoso. E a julgar pelo dado de inflação divulgado pela Fipe nesta quarta-feira (0,11% ante 0,33% do mês anterior, em São Paulo), não há risco da alta no consumo provocar uma bolha inflacionária.


03/04/2007 - 11h08 - Vendas de veículos registram melhor trimestre da história

IVONE PORTE, da Folha Online

As vendas de veículos de passeio e comerciais leves registraram no primeiro trimestre deste ano o melhor resultado da história para o período. Segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), nos primeiros três meses do ano, as vendas totalizaram 468.652 unidades, expansão de 18,5% sobre igual intervalo de 2006.

De acordo com a entidade, em março foram comercializados 183.742 veículos de passeio e comerciais leves no país, 24,09% a mais que em igual mês de 2006 e 31,68% acima de fevereiro deste ano.

A oferta de crédito no mercado a juros mais baixos, principalmente voltada para o financiamento de veículos, tem impulsionado as vendas de veículos, segundo a Fenabrave.

Considerando caminhões e ônibus, as vendas do setor cresceram 17,9% de janeiro a março, atingindo a comercialização de 492.292 unidades.

O bom desempenho da agricultura brasileira tem elevado a demanda por caminhões no mercado interno. "Os dados do setor agrícola e transporte têm uma interconexão, quando a agricultura vai bem, a venda de caminhões também cresce", afirmou o presidente da Fenabrave, Sérgio Reze.

As previsões apontam para um crescimento de 10,2% na comercialização de automóveis e comercias leves para 2007. Em janeiro, o presidente da Fenabrave havia feito uma previsão de incremento mínimo de 8% nas vendas.

No segmento de caminhões, as estimativas são de incremento de 8,1% nas vendas. Já os emplacamentos de ônibus devem cair cerca de 2% no ano.

Para Reze, 2007 será o ano recorde de todos os tempos, ultrapassando os índices históricos de 1997, quando foram comercializados mais de 1,8 milhão de unidades.

2 comentários:

  1. Aumento da venda de carros pode ser um bom número para a economia, para as empresas e para o nível de emprego. Mas é péssima para as metróples brasileiras. Aqui no Rio não tem lugar para mais carro nenhum, a não ser derrubando as montanhas!

    ResponderExcluir
  2. O apagão "ofusca" a violenta epidemia de dengue em São Paulo, a crise do ensino em São Paulo ( o apagão educacional continuado ), a morte de plantadores de cana devido à exaustão, as vozes que discordam sobre a conveniência ou não de se manter a cultura do milho para produção de etanol em larga escala em detrimento da produção de alimentos, a contínua especulação imobiliária na Capital paulista, um monte de coisas. Ah. E a culpa dos pilotos americanos no acidente.

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.