quinta-feira, 27 de março de 2008

Popularidade de Lula: se melhorar, piora

Foi divulgado hoje o resultado de mais uma pesquisa CNI/Ibope sobre a popularidade do governo federal e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O resultado, conforme este blog previa, foi de aumento vigoroso na aprovação ao governo e ao presidente Lula: no primeiro caso, a avaliação positiva (ótimo e bom) saltou de 51% em dezembro de 2007 para 58% e hoje apenas 11% dos entrevistados avaliam o governo como ruim ou péssimo; no segundo, que chama ainda mais atenção, o Ibope aferiu que a aprovação ao modo do presidente governar saltou de 65% para 73%. A taxa de desaprovação foi de apenas 22%. Isto significa, em termos práticos, que Lula supera em mais de 10 pontos percentuais a consagradora votação que recebeu nas urnas em 2006. No meio do segundo mandato, quando o natural seria haver algum desgaste, o resultado é mesmo espantoso.

É improvável que Lula consiga crescer além deste patamar – sua melhor performance, em março de 2003, logo após a posse, foi de 75% –, mas a verdade é que se a crise da economia americana não piorar muito e o Brasil conseguir passar ao largo dos problemas que já começam a afetar alguns países mais frágeis, o presidente será bem mais pressionado a tentar um terceiro mandato do que se imagina hoje. No fundo, o único problema de uma avaliação tão alta é que deste patamar praticamente só se pode cair...

Abaixo, a matéria da Folha Online com mais detalhes sobre a pesquisa. Aliás, este blog aposta que a notícia não vai ser manchete em nenhum dos jornalões brasileiros.

Avaliação positiva do governo Lula atinge maior nível desde 2003, diz CNI/Ibope

GABRIELA GUERREIRO, da Folha Online, em Brasília

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva registrou avaliação positiva de 58% em março deste ano, segundo pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quinta-feira. O índice é o mais alto desde março de 2003, primeiro ano de Lula na Presidência da República. Somente 11% dos entrevistados avaliaram o governo federal como ruim ou péssimo, enquanto 30% consideraram a condução do governo como "regular".

Em dezembro de 2007, na última edição da pesquisa CNI/Ibope, a avaliação do governo foi de 51%. Em março de 2003, o índice de aprovação ao governo federal também foi de 51% --o que foi considerado pela CNI/Ibope como um crescimento considerável para a avaliação do governo federal.

Já a aprovação ao presidente Lula também cresceu em março deste ano. No total, 73% dos entrevistados aprovam a maneira do presidente governar o país. O índice também foi o segundo melhor registrado pela pesquisa.

Somente em março de 2003, a avaliação pessoal do presidente obteve índice maior, de 75%. Em março do ano passado, a avaliação de Lula foi aprovada por 55% dos entrevistados.

Confiança

No mesmo índice de crescimento, a confiança no presidente registrou índice de 68%, enquanto apenas 28% dos entrevistados afirmaram que não confiam em Lula.

Em dezembro do ano passado, o índice de confiança no presidente foi de 60%. Já em abril de 2006, o índice registrou 62%.

Segundo a CNI/Ibope, o movimento expressivo das avaliações positivas também repercutiu na expectativa em relação ao segundo mandato de Lula. Dos entrevistados, 42% afirmaram que o atual mandato de Lula está sendo melhor que primeiro. O percentual dos que consideram o segundo mandato pior que o primeiro caiu de 21% em dezembro para 16%.

A pesquisa ouviu 2.002 pessoas entre os dias 19 e 23 de março, em 141 municípios. A margem de erro é dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Um comentário:

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.