quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Absolvido, Renan não deve renunciar

Está fazendo água a teoria de que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), renunciaria depois da absolvição. Não vai renunciar. Segundo seus assessores, Renan não sai da cadeira nem amarrado e não houve acordo algum com o governo. No final da história, Renan teve, na prática, 46 votos a seu favor (os 40 pela absolvição mais as 6 abstenções). É um apoio considerável, ainda mais lembrando que ele foi eleito por 51 senadores. Com toda crise, Renan perdeu apenas 5 votos, que é a diferença dos 51 da eleição e os 46 de hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.