segunda-feira, 26 de junho de 2006

Resultado da pesquisa Ibope no Rio Grande do Sul é mais uma dor de cabeça para Geraldo Alckmin

A pesquisa realizada pelo Ibope entre os dias 19 e 22 deste mês, apenas no Rio Grande do Sul, traz mais uma má notícia para Geraldo Alckmin (PSDB): mesmo após as inserções dos programas do PSDB e PFL, o presidente Lula segue na frente, com 39% das intençõs de voto contra 26% de Alckmin. Os tucanos estão trabalhando com afinco para que a votação nas regiões sul e sudeste compense a enorme diferença a favor de Lula que existe no norte e nordeste, e os números de Alckmin no Rio Grande são desanimadores. É certo que no Sul Lula está bem abaixo da sua média nacional, de 48%, mas o problema é que Alckmin não consegue superar muito a casa dos 25%. Do ponto de vista tucano, para compensar o estrago que o bolsa família faz entre os eleitores do norte e nordeste, Alckmin teria que abrir uma boa diferença a seu favor no Sul – o ideal seria que o placar divulgado pelo Ibope estivesse invertido.

Não é possível comparar o número da pesquisa Ibope com as anteriores, já que o instituto realizou a sua primeira enquete exclusiva com os gaúchos. Porém, na última pesquisa do instituto, realizada entre os dias 5 e 7 de junho, Lula aparecia com 36% da região Sul e Alckmin, com 15%. O problema é que no Rio Grande do Sul, em particular, o PSDB está jogando muito mal: lançou a Yeda Crusius para o governo do Estado, deixando desconfortável o governador Germano Rigotto (PMDB), candidato à reeleição e ideologicamente próximo aos tucanos. Rigotto esteve com o presidente Lula na semana passada e teria selado um pacto de não-agressão com o petista Olívio Dutra. Lula pode até ter dois palanques no Estado, se o PT gaúcho aceitar um apelo do presidenciável.

Leia abaixo matéria da Agência Estado com os dados da pesquisa realizada pelo Ibope.


Ibope mostra Lula à frente de Alckmin no RS

Lula tem 39% das intenções de voto na modalidade estimulada e 25% na espontânea. Alckmin aparece com 26% dos votos na estimulada e 11% na espontânea

Elder Ogliari


PORTO ALEGRE - Pesquisa do Ibope mostra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva liderando a disputa pelo preferência dos eleitores gaúchos, com 39% das intenções de voto na modalidade estimulada e 25% na espontânea. O candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, aparece em segundo lugar, com 26% dos votos na estimulada e 11% na espontânea. Mas alcança um empate técnico na projeção para o segundo turno, para a qual tem 39% das intenções de voto contra 42% de Lula. A margem de erro é de três pontos porcentuais para mais ou para menos.

Lula lidera também na rejeição. Dos 1.008 eleitores ouvidos pelo instituto em 61 municípios do Rio Grande do Sul entre os dias 19 e 22 de julho, 37% declararam que não votariam no atual presidente em hipótese alguma. O segundo maior índice de rejeição, de 31%, é para Enéas Carneiro (Prona), que desistiu de concorrer depois das entrevistas feitas pelo Ibope. A rejeição a Alckmin é de 12%.

Na estimulada, Heloísa Helena (PSOL) tem 8%, Enéas tem 6% e Cristovam Buarque (PDT) e José Maria Eymael (PSDC) têm 1%. Na espontânea, Heloísa Helena tem 2%. Enéas e José Serra (PSDB) têm 1%. A rejeição é de 12% para Heloísa Helena, de 11% para Cristovam e de 10% para Eymael.

A pesquisa, divulgada pelo jornal Zero Hora e RBS TV, foi encomendada pela Televisão Gaúcha S.A. e registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número 044386/2006.

Senado

A mesma sondagem identificou as intenções de voto para a vaga ao Senado destinada ao Rio Grande do Sul neste ano. Pedro Simon (PMDB), que busca a reeleição, tem 42% na estimulada e 8% na espontânea. Miguel Rossetto (PT) aparece em segundo lugar, com 7% na estimulada e 1% na espontânea.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.