sexta-feira, 23 de junho de 2006

Ombudsman critica a cobertura realizada pela Folha de S. Paulo sobre a campanha eleitoral

O ombudsman da Folha de S. Paulo, jornalista Marcelo Beraba, continua desgostoso com a cobertura que o jornal está realizando sobre as eleições deste ano. Na sua crítica interna de quinta-feira, disponível na internet (clique aqui para ler a íntegra do comentário do ombudsman), Beraba diz que "falta análise, interpretação e bastidores" aos textos que o jornal vem publicando. E reprova a divulgação dos ataques entre candidatos e correligionários. Abaixo, a nota da Crítica Interna em que Marcelo Beraba comenta a cobertura eleitoral da Folha. Foi a segunda vez em duas semanas que o ombudsman puxou a orelha da redação por este motivo.

Eleições 2006

A cobertura eleitoral da Folha continua centrada nos ataques entre candidatos e correligionários. Não é que não considere importante reproduzir os discursos da convenção do PFL. Mas acho que a confirmação oficial do acordo não deveria se restringir aos ataques. Falta análise, interpretação, bastidores, um texto que informe o que significa o acordo, que consolide as informações pingadas que o jornal vem publicando sobre a campanha cheia de problemas de tucanos e pefelistas, que fale sobre a estratégia da aliança, que situe melhor o leitor além das aspas.

O "Estado" traz reportagem sobre o encontro que reuniu em Brasília, durante três dias, 1.500 coordenadores dos Centros de Referência de Assistência Social que trabalham nos 1.600 municípios atendidos pelo programa Bolsa-Família. Não era um encontro importante para a Folha ter acompanhado? Não era um bom momento para o jornal tentar entender melhor o que está ocorrendo na eleição presidencial fora de Brasília e dos partidos?

Um comentário:

  1. Caro Luiz, poderia dizer que sou uma cidadã bem informada. Tenho banda larga, leio vários jornais e sites na web diariamente. OI, Mídia sem Máscara, e lia -infelizmente não mais- Primeira Leitura. Leio os jornais paulistas no final de semana (moro no RJ) e o que tenho observado é que a mídia está bem seletiva nas suas publicações, par não dizer medíocre. O que aconteceu ao Francenildo, a invasão do Congesso, aos deputados do mesalão, onde foi parar tudo isso? Gostaria que os jornais fizessem um serviço de utilidade pública como fazem os jornais ingleses antes das eleições: publicam uma pequena biografia de TODOS os candidatos, suas posses, seus processos na justiça e principalmente para quem fazem lobby, de qual bancada participam.
    Estes acontecimentos dos dois últimos anos seriam sifucientes para mandar Lula e sua corja para o inferno. Não que tivéssemos alternativa pois, com uma oposição desse quilate, quem precisa de inimigos? Estamos numa pobreza política como se nunca se viu antes. Esta deveria ser a única vez que LULA poderia utilizar a frase 'nunca neste país...'.
    Abraços fraternos e por favor continuem insistindo numa mídia combativa. Não podemos nos calar, este homem governará nosso país por mais 4 anos. Vai liquidar o Brasil.

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.