quarta-feira, 14 de junho de 2006

Feriado de muita negociação em São Paulo

Apesar do favoritismo do ex-prefeito José Serra (PSDB) na eleição para o governo do Estado, apontado por todas as pesquisas eleitorais recentes, os tucanos não estão querendo dar sopa para o azar e querem porque querem tirar o PMDB do jogo para facilitar uma vitória já no primeiro turno. Nos últimos dias, o presidente do Diretório paulista do PMDB, ex-governador Orestes Quércia, conversou com Aloysio Nunes Ferreira, emissário de Serra para a negociação de uma aliança entre as duas agremiações. O próprio Serra também procurou ampliar o espaço para as conversas ao dizer que não trabalha apenas com a hipótese de uma chapa pura, com vaga de vice para um tucano. O problema todo é que ainda existe muito tucano resistente à aproximação com o PMDB e de olho nas vagas de vice e senador. No PMDB, o clima é de expectativa. A militância aguarda a decisão de Quércia e, no momento, a tendência é de que o partido lance candidato a governador. O nome mais cotado para a disputa é naturalmente o do ex-governador, que aparece bem colocado nas pesquisas. Marcelo Barbieri e Alda Marcantônio também estão no páreo, caso Quércia decida se lançar ao Senado - hipótese pouco provável - ou concorrer a uma vaga na Câmara Federal.

Tudo somado, o fim de semana prolongado que começa com o feriado desta quinta-feira deve ser dos mais agitados nos meios políticos. O tempo para as alianças se acelerou e cada partido precisa fechar os acordos a tempo das convenções partidárias. A Convenção do PMDB de São Paulo, por exemplo, já está marcada para dia 24 de junho, mas é possível que a decisão do partido seja anunciada antes, na terça ou quarta-feira da próxima semana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.