terça-feira, 12 de agosto de 2008

Uribe pode dar 3° mandato a Lula

Imaginem se o PT ousasse fazer o que fez o partido de Álvaro Uribe, conforme a matéria publicada hoje na Folha de S. Paulo, reproduzida abaixo. A oposição certamente já estaria aos berros, acusando o presidente Lula de tentativa de golpe de Estado. A ultra-direita, então, cairia matando, provavelmente enxergando no maléfico Foro de São Paulo o comando estratégico da operação lulo-petista, em mais um grande passo para implantar a velha e boa ditadura do proletariado em toda a América Latina. Como se pode ver na matéria, porém, lá na Colômbia parece que o povão está mesmo querendo mais quatro anos para Uribe, coisa que pelo visto os direitistas terão que engolir ou tentar justificar com algum argumento um pouco mais sofisticado do que "a Colômbia é a Colômbia, o Brasil é o Brasil". Afinal, se é tão essencial assim para a democracia o limite de uma reeleição, então porque o grande vencedor da guerra contra as Farcs poderia concorrer pela terceira vez?

No fundo, talvez seja bom que Uribe consiga o direito de disputar o terceiro mandato, pois abriria caminho para o PT tentar o mesmo. Este blog não acha que terceiro mandato é sinônimo de ditadura. Ao contrário: como diz o ditado, em time que está ganhando não se mexe. Até para a oposição não há mal nenhum em disputar contra Lula mais uma vez. O debate fica mais direto e o presidente pode responder pelos seus acertos e erros. Quem quiser enfrentá-lo, que se habilite. Tudo bem às claras, tipo pão pão, queijo queijo.

Vale a pena, portanto, acompanhar de perto o processo político da Colômbia. De lá podem vir todas as respostas que o Brasil espera em 2010.


Terceiro mandato de Uribe recebe apoio de 5 milhões

Partido governista apresenta abaixo-assinado pró-referendo que permita reeleição

Número de firmas coletadas é muito superior ao mínimo de 1,4 milhão estabelecido por lei colombiana; próxima fase é debate no Congresso

FABIANO MAISONNAVE
DE CARACAS

O Partido Social da Unidade Nacional (Partido de la U), da base de apoio de Álvaro Uribe, entregou ontem às autoridades eleitorais mais de 5 milhões de assinaturas solicitando a convocação de um referendo para autorizar que o presidente colombiano possa concorrer a um terceiro mandato.
O secretário-geral do partido, Luis Guillermo Giraldo, disse a jornalistas em Bogotá que "sonha acordado com uma Colômbia em 2014, quando o presidente Uribe entregar a Presidência com nenhuma guerrilha e nenhum paramilitar".
O total de 5.021.873 assinaturas, distribuídas em 3.000 planilhas e levadas em três caminhões blindados, supera largamente o 1,4 milhão de firmas exigido pela legislação colombiana (5% do eleitorado do país). Agora, o Registro Nacional do Estado Civil (RNEC) tem 30 dias para certificar ou não as assinaturas.
Caso haja a validação, o próximo passo será apresentar o projeto formalmente no Congresso, onde o tema do terceiro mandato não é consenso na base governista, que tem uma confortável maioria.
"Uma vez que as assinaturas sejam reconhecidas, os partidos se reunirão. Já há um anúncio do partido [governista] Cambio Radical em favor, mas até agora o tema é a validação das firmas", disse à Folha o senador do Partido de La U, Carlos García, ao ser questionado sobre a divisão interna.
Caso seja aprovada pelo Congresso, a nova legislação precisará também do crivo da Corte Constitucional. Após isso, o governo tem oito dias para convocar o referendo, que precisa ser realizado em até três meses. O Partido de La U estima que, se tudo ocorrer dentro do previsto, a consulta será em meados do ano que vem.
Em seu primeiro mandato (2002-2006), Uribe conseguiu no Congresso a aprovação de uma emenda constitucional que lhe permitiu concorrer à reeleição, num processo que hoje está sob investigação após a condenação de uma ex-parlamentar que admitiu ter vendido o seu voto.
Em razão de sua política de segurança, que diminuiu os índices de violência nos grandes centros urbanos e impôs várias derrotas às Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), Uribe mantém um índice de aprovação superior a 80%, segundo pesquisas de opinião. Seu mandato atual vai até 2010.
A oposição e até mesmo setores do uribismo têm criticado a possibilidade de um terceiro mandato. Já Uribe não descarta abertamente a possibilidade. Questionado sobre a posição do presidente, o senador García disse que "isso tem que ser perguntado a ele".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.