quarta-feira, 6 de agosto de 2008

De dia é Maria, de noite é João

A notícia abaixo está na Folha Online. A campanha eleitoral deste ano parece estar criando uma nova figura na política brasileira: é o candidato Gillete, que corta para os dois lados. De madrugada é alckmista, de tarde é kassabista. Dia 5 de outubro, porém, essa gente vai ter que apertar o botão da urna eletrônica e pressionar confirma. Para Alckmin ou para Kassab?

Vereador tucano faz campanha para Alckmin e Kassab em SP

WANDERLEY PREITE SOBRINHO

A divisão interna no PSDB de São Paulo rendeu uma nova espécie de candidato a vereador: aquele que faz campanha para dois candidatos, como o vereador Adolfo Quintas (PSDB), que busca se reeleger.
Adolfo participou ontem à noite de corpo-a-corpo com o candidato de seu partido, o ex-governador Geraldo Alckmin. Hoje, foi a vez de fazer o mesmo com o prefeito Gilberto Kassab, que tenta se reeleger pelo DEM.
A participação de Adolfo na campanha de Alckmin é apenas protocolar. Ontem, seu carro de som acompanhou o tucano por todo o percurso, mas ele apareceu pouco ao lado do ex-governador. No fim da noite, os dois se encontraram novamente em um evento da Associação Comercial de São Miguel Paulista. "O evento era para mim e o Alckmin apareceu", afirmou o vereador.
Em seu material de campanha não há qualquer menção a Alckmin. Mesmo assim, seus panfletos o mostram ao lado do governador José Serra (PSDB), do ex-governador Mário Covas (1930-2001) e até de expoentes da administração Kassab, como o secretário municipal de Coordenação das Subprefeituras, Andrea Matarazzo, e o secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Eduardo Jorge, que é do PV, partido que apóia a reeleição do prefeito.
Hoje pela manhã, o encontro foi com Kassab. Mais à vontade, ele percorreu o trajeto de cerca de um quilômetro ao lado do democrata. "Eu estou acompanhando o Kassab porque ele fez muito pela zona leste. Eu não posso ir contra um governo que fez tanto", disse o vereador.
Ele afirmou, no entanto, que está à disposição de Alckmin. "Sou secretário do PSDB. Toda a vez que o Alckmin me chamar, eu vou."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.