quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Um teste para José Serra

A matéria abaixo, na versão da Folha Online, revela que há algo indo muito mal na execução da obra da linha 4 do Metrô de São Paulo. Pelo que se lê, o governo de José Serra (PSDB) e o consórcio contratado para tocar a empreitada não estão se entendendo nada bem. No fundo, é um bom teste para Serra: ou ele vem a público e explica que seu antecessor no cargo, o também tucano Geraldo Alckmin, fez uma grande asneira ao fechar o contrato como "turn key", dando mais atribuições ao consórcio do que ele deveria ter; ou enfia o rabo entre as pernas e reza para que nenhuma outra bobagem grave aconteça na obra da linha 4. Este blog tem um palpite: Serra vai enfiar o rabo entre as pernas.

Consórcio quer cobrar Metrô na Justiça por paralisação de obras

O consórcio Via Amarela quer processar o Metrô de São Paulo para receber os custos pela paralisação das 23 frentes de trabalho da linha 4-amarela determinada pelo governo do Estado entre fevereiro e maio deste ano, revela reportagem publicada na edição desta quarta-feira da Folha de S.Paulo (íntegra disponível só para assinantes do jornal ou do UOL).

A Folha apurou que os valores podem chegar a R$ 40 milhões e contabilizarão os gastos com folha de pagamento dos quase 4.000 funcionários e aluguéis de máquinas.

A paralisação das obras foi determinada pelo então secretário dos Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella, após a divulgação de um laudo sobre as estruturas metálicas da estação Fradique Coutinho que dizia da possibilidade de "acidentes de proporções imprevisíveis".

Um comentário:

  1. Assim espero, mas sei não...
    Acho que há um grande complô para eleger este mala para a Presidência da República em 2010.
    Se você achar interessante, leia o meu blog, o Jornalóide.
    Fui!
    Marciel

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.