domingo, 7 de outubro de 2007

A pauta do momento

Segunda-feira é um ótimo dia para os repórteres de política investigarem direito em que partido estão alguns políticos que vinham ameaçando mudar de legenda para disputar a eleição do ano que vem. Com o julgamento da fidelidade partidária no Supremo, esta movimentação pode diminuir, mas com certeza não vai acabar: quem muda de legenda pode alegar perseguição política ou mudança de ideologia do partido ao qual fazia parte.

A grande questão do momento nem é tanto a decisão do STF, mas o fato de que na sexta-feira acabou o prazo de filiação e/ou mudança de agremiação para quem quer participar das eleições municipais de 2008. Assim, nesta segunda é preciso correr atrás paa saber, por exemplo, em que partido está Romeu Tuma, o senador por São Paulo que estava no DEM e tinha a ambição de concorrer à prefeitura de São Paulo ou mesmo de ser vice em alguma chapa? Se ele não mudou de partido, assistirá seu correligionário e prefeito Gilberto Kassab disputar a reeleição; se foi para o PTB, como estava sendo comentado nos bastidores, poderá tanto ser candidato como vice de Geraldo Alckmin, em uma eventual aliança com o PSDB... Há muitos casos como o de Tuma e os jornalistas precisam correr atrás e contar ao distinto público em que time eles estão para disputar a partida em 2008.

Um comentário:

  1. A decisao do STF vale para os deputados e vereadores. Para as eleicoes majoritarias Presidente, Governador, Prefeito e Senador o
    STF dara ainda um parecer

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.