quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Rodini: Lula pisou na bola

Em mais uma colaboração para o Entrelinhas, Jorge Rodini, diretor do instituto Engrácia Garcia, comenta a declaração do presidente Lula sobre a contratação de funcionários públicos para a máquina do governo federal. Leia a seguir a íntegra do comentário:

O presidente Lula mais uma vez subverteu a ordem natural das coisas. Disse, em uma entrevista concedida nos últimos dias, que o correto é contratar mais gente no serviço público, que a Pátria necessita de muito mais funcionário barnabé do que já possui.

Lula vai na contramão do governador Aécio Neves (PSDB), de Minas Gerais, que enxugou a máquina para sanear – ou pelo menos tentar – as finanças de seu Estado. Lula choca-se de frente com a idéia de Estado Mínimo, de menor intervenção, de menos gente fazendo mais e ganhando por mérito.

O Brasil, nestes últimos anos, vem produzindo em média 10 % de desempregados. É um exército de miseráveis que não consegue matar a fome de sua família e sobrevive com a caridade alheia (privada ou estatal). A pobreza tem vários motivos, como a concentração de renda, a falta de estudo, a impotência dos governos no apoio à agricultura e à pequena e média empresa, entre muitos outros.

Quando vemos o excesso de cargos comissionados na esfera federal e a lentidão no ritmo das ações dos ministérios, passamos a entender porque o Brasil não caminha na mesma velocidade que os outros países em desenvolvimento no Mundo.

Por que, então, o nosso presidente, que afirma que o máximo em administração é contratar, não dá os 10 milhões de emprego que prometeu na campanha? Temos minérios extraídos em penca e escondidos, florestas, rios, fauna e flora de fazer inveja a qualquer País do mundo. Mas também temos, é verdade, políticos capazes de fazer qualquer brasileiro (a não ser eles próprios) corar de vergonha.

3 comentários:

  1. Este senhor se prende ao preconceito e distorce tudo.
    1) Cargos de confiança nada têm a ver com contratações no serviço público, que são feitas via concurso;
    2)O número de funcionários públicos no Brasil , a cada mil habitantes, é inferior a países como EUA, França, México, Áustria..conforme dados da OCDE;
    3) Fale para ele checar os números: os dez milhões de empregos já foram criados sim, ou quase isto.E outra, Lula disse, em 2002, que o País precisava de 10 milhões de novos empregos. Não prometeu dar 10 milhões de empregos, mesmo porque um presidente não "dá" empregos;
    4) Enfim, porpuro preconceito, esqueceu de fazer uma análise criteriosa dos números , das informações e das declarações de Lula;
    5)Uma pergunta: ele defende a devastação da floresta?
    atenciosamente,
    Dom Pablo
    2)

    ResponderExcluir
  2. Questão: será que quando o presidente fala isso não quer dizer que é necessário mais gente empregada, em lugar de simplesmente pensar que ele que só aumentar o tamanho do estado?

    ResponderExcluir
  3. Ora, os paises onde mais se tem qualidade de vida são Estados Fortes, a idéia de estado minimo esta sendo destruida nos estados onde foi tentado pois piorou significativamente a qualidade de vida do povo.

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.