quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Rodini: quando o rolo fala do Rolex

Em mais uma colaboração para o Entrelinhas, Jorge Rodini, diretor do instituto de pesquisas Engrácia Garcia, dá um pitaco sobre a polêmica da hora, que envolve o mauricinho Luciano Huck e o mano Ferréz. Leia a seguir a opinião de Rodini:

O rolo do Rolex. Este é o início do maior espetáculo midiáticodo mês. Páginas de jornais, revistas e blogs a defender e atacar Luciano Huck, o pequeno Hulk, que teve seu relógio subtraído por um meliante distraído. Não notou o assaltante a importância do assaltado, que não pediu para ser importunado e que, ao criticar o sistema, acabou esculhambado. Mauricinho, riquinho, casado com mulherão, bom moço, do bem... Foram tantos "adjetivos" que parece que quem transportava o Huck era o Rolex....Este sim, de um adjetivo só.

Por que não defenderam com muito maior vigor a mãe desesperada que roubou um pote de margarina para filha, sem ameaçar ninguém? Por que culpar os pobres pela violência? E por que massacrar quem conseguiu adquirir de forma honesta objetos de desejo dos que violam?

É o roto falando do esfarrapado. O rolo falando do Rolex...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.