sexta-feira, 1 de dezembro de 2006

Paulo Henrique analisa o PIB e a mídia

O comentário abaixo está no blog do jornalista Paulo Henrique Amorim, o Conversa Afiada. A análise é tão pertinente que não dá para não reproduzir na íntegra:

Máximas e mínimas 18

. Os jornais da mídia tradicional celebram o crescimento medíocre de economia em 2006:
. Manchete da Folha de S. Paulo, de fora a fora, na primeira página: "Câmbio faz economia crescer só 0,5%".
. (Eis aí uma questão interessante: quem disse que a economia não cresce por causa do câmbio? Raras vezes se vê na imprensa mundial uma manchete que discuta com tanta intensidade um problema dessa complexidade técnica. É possível encontrar 100 economistas de alto valor que concordem com a tese da Folha. E outros cem que discordem. Quer dizer: além de termos um jornalismo opinativo na manchete, temos opinião sobre correntes de pensamento econômico. Parece que estamos no site do FMI ou na primeira página do Financial Times. E tudo isso pelos mesmos R$ 2,50...)
. Manchete do Estadão: "PIB sobe 0,5% e confirma ano de baixo crescimento".
. Manchete do Globo: "PIB indica crescimento abaixo de 3% este ano". E, na seção de economia, uma contribuição, digamos, poética, ao noticiário econômico: "Pais vai devagar, devagarinho", como se diria num pagode.
. Acontece que o medíocre crescimento do Governo Lula, nos primeiros quatro anos, é superior ao de FHC nos primeiros quatro anos, e superior à média dos oito anos de FHC.
. De acordo com a previsão da pesquisa Focus, o crescimento de 2006 deve ser de 2,9%.
. Com isso, o crescimento médio dos quatro primeiros anos de Lula será de 2,65%.
. Nos quatro primeiros anos de FHC, o PIB cresceu 2,57%, na media.
. Nos oito anos de FHC, o PIB cresceu, na media, ainda menos: 2,33%.
. No último ano do primeiro mandato, 1998, o crescimento da economia foi de 0,1%. Não, não é erro de imprensa: foi de ... preste atenção ... 0,1% !
. Quer dizer, FHC foi duas vezes mais medíocre do que Lula.
. E a mídia tradicional tratava da questão com metade do entusiasmo...
. Aliás, na verdade, no Governo FHC, fazer a economia crescer era uma questão secundária.
. Recentemente (28 de novembro), no jornal Valor, Delfim Netto publicou uma tabelinha interessante.
. Delfim enumerou 10 itens: crescimento da economia, taxa de inflação, exportações, saldo comercial, saldo em conta-corrente, divida liquida/ PIB, déficit nominal /PIB, superávit primário/Pib, divida externa/PIB, e reservas internacionais.
. E comparou o ultimo ano do segundo mandato de FHC (2002), com o ultimo ano do primeiro mandato de Lula (2006).
. Em TODOS os dez itens Lula ganha de FHC.
. Como me disse uma vez um jornalista americano sobre a devoção da mídia brasileira a FHC: "vocês parecem muito felizes porque seu presidente fala francês" ...

Um comentário:

  1. Oi Luiz!

    Como vai?

    Fiz o curso do Comunique-se com você, no fim de semana passado e resolvi passar por aqui para dar uma espiada nos textos.

    Muito legal o blog!

    Esse texto do Paulo Henrique Amorim é, realmente, intocável. Ótima análise!

    Passarei sempre por aqui.

    Abraços ; )

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.