sexta-feira, 18 de setembro de 2009

O fator Chalita

Muito boa a análise do repórter Fernando Rodrigues, da Folha de S. Paulo, em seu blog, sobre bastidores da saída de Gabriel Chalita do PSDB. Para quem acha que José Serra já é o candidato do PSDB à presidência, trata-se de uma ducha de água fria.

Chalita vai ao PSB com a benção de Aécio e para ser o plano B de Geraldo Alckmin

O tucano e geraldista Gabriel Chalita está entrando no PSB. Essa é a informação conhecida. O bastidor é mais apimentado.
Chalita conversou reservadamente com Aécio Neves para receber a benção do tucano mineiro a respeito da troca da canoa tucana pelo PSB paulista. Foi abençoado. Ontem (16.set.2009), bateu o martelo com o principal cacique do PSB, o governador de Pernambuco Eduardo Campos.
Geraldo Alckmin tem em Chalita um de seus mais fortes puxadores de votos na região metropolitana da capital paulista. Em 2008, Chalita foi o mais bem votado vereador na cidade de São Paulo, com 102.048 votos.
Alckmin esboçou no final de 2008 um desejo de ele próprio pular para o PSB. Não deu certo. Lula não se animou em vê-lo num partido de sua base. O petista detesta Alckmin. Credita ao tucano alguns ataques que considera além do aceitável na disputa presidencial de 2006.
Mesmo assim, Alckmin estava determinado a sair do PSDB no final do ano passado. Achava que não teria espaço no partido para ser candidato a governador em 2010, pois não se dava com José Serra.
Por essa razão o próprio Serra ficou com medo de ter um candidato como Alckmin fora do PSDB em 2010. Trouxe Alckmin para seu secretariado estadual e acorrentou o antigo adversário à sigla.
Alckmin sabe o que se passa. Não tem mais como sair do PSDB. Resolveu então mover pedras importantes no tabuleiro de 2010. Se Serra acabar mudando de ideia mais adiante e não deixá-lo ser candidato ao Palácio dos Bandeirantes, Alckmin terá uma excelente opção dentro do PSB para apoiar na disputa pelo governo estadual paulista: Gabriel Chalita.
Ainda mais agora que Aécio Neves também está ciente da estratégia e já deu seu nihil obstat para a entrada de Chalita no PSB. Aliás, se tudo der errado para Alckmin e Aécio no PSDB, Chalita pode tranquilamente subir em São Paulo no palanque presidencial da petista Dilma Rousseff. Seria um tucano avançado no campo adversário, com o objetivo de minar as chances de vitória de Serra na disputa pelo Planalto.
Como se observa, o jogo entre os tucanos ainda está longe de ser um jogo jogado.

3 comentários:

  1. Bela análise, mostra bem a divisão interna do PSDB paulista.

    Abraço,
    Rapha

    ResponderExcluir
  2. Poderíamos dizer: que horror é essa política brasileira, quem virar primeiro leva a facada!
    O PSDB como o PT,PMDB,DEMO,PSB,PDT,PV.... e todos os outros tem um único objetivo, seus próprios interesses, o povo ah, o povo.....

    boa análise!
    Provos Brasil
    www.provosbrasil.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi pessoal, já que o assunto é a eleição do ano que vem, eu gostaria de sugerir um vídeo novo do Aécio Neves que assisti no youtube.O vídeo mostra o Aécio convidando um manifestante pra subir o palco. Acho ótimo ter a internet para me ajudar a conhecer melhor os políticos. O que vcs acham deste vídeo? http://www.youtube.com/watch?v=N-MniD0pmwM

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.