terça-feira, 15 de abril de 2008

Economia continua bombando

Enquanto a vida lá fora segue sob expectativa e efeitos da crise do "subprime" nos EUA, aqui no Brasil nada parece abalar a confiança dos consumidores, que foram ás compras nos primeiros meses de 2008, conforme revela matéria do portal UOL, reproduzida abaixo. Enquanto as coisas estiverem assim – só notícias boas – o presidente Lula não precisa se preocupar muito com cartões corporativos e outras questiúnculas. Resta saber se a maré vai virar durante o mandato dele ou cairá no colo do próximo presidente. A julgar pela sorte de Lula, a crise americana vai fazer efeito por aqui a partir do dia 1° de janeiro de 2011 e o presidente vai assistir a coisa toda de camarote, em São Bernardo do Campo.

Vendas do comércio sobem 12,2% em fevereiro sobre um ano antes

As vendas do comércio varejista subiram 12,2% em fevereiro no país, na comparação com o mesmo mês do ano passado. A informação é do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

É a maior taxa já registrada para meses de fevereiro desde 2001, quando se iniciou essa série de levantamentos.

Em relação a janeiro, no entanto, houve queda de 1,5%, depois de três meses seguidos de alta. O cálculo tem ajuste sazonal (considera efeitos específicos de determinado período).

"Houve uma acomodação, após as significativas expansões em volume de vendas (2,2%) e receita nominal (2,6%) de janeiro", disse o instituto em nota.

No ano, as vendas acumulam expansão de 12%. Nos últimos 12 meses, de 10,2%.

Setores
Em fevereiro sobre janeiro, apenas três dos dez setores de comércio pesquisados tiveram queda nas vendas: o grupo de "artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos" (recuo de 2,8%); o de "hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo" (redução de 3,9%); e o de "tecidos, vestuário e calçados" (de 4,0%).

Na comparação com fevereiro de 2007, todas as atividades cresceram em vendas, com destaque para o segmento de "hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo", com avanço de 7,2%.

"Esse desempenho foi motivado pelo aumento do poder de compra da população, decorrente não só do crescimento da massa de salários como da expansão do crédito", segundo o IBGE.

Receita sobe 16,7%
A pesquisa acrescentou que a receita nominal do comércio subiu 16,7% de fevereiro do ano passado para o segundo mês de 2008. Em relação a janeiro, houve queda de 1,4%.

O IBGE informou que agora passar a divulgar todos os dados do comércio com ajuste sazonal. "Com o encerramento de 2007, obteve-se o número mínimo de observações necessárias para se calcular a dessazonalização das atividades até então não contempladas. Dessa forma, em 2008 passa-se a divulgar os resultados com ajuste sazonal para todas as atividades que compõem o varejo e o varejo ampliado", afirma nota divulgada pelo instituto (Com informações da Reuters)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.