quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Terceiro mandato não é golpe,
escreve Reinaldo Azevedo

Pode parecer surpreendente, mas o colunista de Veja e blogueiro Reinaldo Azevedo acha que a discussão sobre o terceiro mandato do presidente Lula não é um "golpe", como andam dizendo os tucanos e democratas. Claro que Reinaldão é contra o terceiro mandato, mas, conforme o leitor pode ler abaixo, ele acha que mudar a lei por meio de uma Proposta de Emenda Constitucional está na regra do jogo e é politicamente legítimo. Até tu, Reinaldão?


Sobre coerência 2 – O terceiro mandato e o papel das oposições
Olhem aqui: até posso errar. Mas não sou trôpego. Não ando com o pé, a cada hora, de um lado da linha. Não sou bêbado nem equilibrista. Também vejo por aí avaliações como “terceiro mandato é golpe”. É mesmo??? Com a devida vênia, na mídia, a tese do PT como o "Moderno Príncipe", destinado a se tornar o novo imperativo categórico, é de Olavo de Carvalho e minha. Basta procurar no Google (façam isso) as vezes em que falamos sobre o assunto. Ainda que Lula desista de tentar a (re)reeleição, isso não muda o caráter do partido. A construção é bem mais ampla e tem outros requisitos, de que tenho falado aqui amiúde. O projeto do PT, a exemplo do de qualquer agremiação de esquerda que disputa eleições, é tornar os mecanismos democráticos irrelevantes.

Mas temos leis, não é? E temos leis que dizem como devem ser mudadas as leis. Uma delas é a emenda constitucional. Se o PT ou alguém da base aliada quiserem apresentar uma emenda abrindo a possibilidade do terceiro mandato — ou da reeleição sem limites, como já existe —, cadê o golpe? Na Venezuela, note-se, foi diferente. Lá, o ditador criou uma Assembléia exclusiva, e esta se encarregou de liquidar os demais Poderes. Se o PT, de fato, investisse na emenda, estaria botando mais um tijolinho no seu edifício autoritário? É inegável que sim. Mas golpe, lamento, não seria.

Não adianta, por exemplo, a tucanada ficar vociferando contra as pretensões continuístas — por enquanto, aparentemente, apenas de uma parte do PT. O que o maior partido de oposição está fazendo para combater o petismo? Negociando a CPMF com aquela dureza de que o adesismo crítico é capaz? Vocês acham que não passa pela cabeça dos petistas algo como: “Se o povo quer, se o Congresso quer, quem não quer?” Não adianta transformar Lula no condestável da República e depois implorar que ele não tente o terceiro mandato.

Sou contra a reeleição. Sou favorável a um mandato único de cinco anos. Todo mundo aqui já sabe. Opus-me à emenda da reeleição de FHC, embora considere besteira aquela história da compra de votos. Basta ver o resultado da votação para saber que era uma desnecessidade. Aquilo foi tramóia de meliantes magnificada por certo jornalismo. E foi uma mudança de regra no meio do caminho. Como seria o terceiro mandato. Por que dois e não três? “Ah, porque há exemplos no mundo...” Desculpem: a ocorrência de um fato não muda a sua essência.

Tanto a emenda de (re)reeleição seria formalmente democrática, que, caso seja aprovada, o que podem fazer os que a ela se opuserem? Vão dar um golpe de estado?

O busílis é outro: EU QUERO SABER É O QUE A OPOSIÇÃO ESTÁ FAZENDO PARA TIRAR ESSA IMPRESSÃO DE QUE O PT SÓ NÃO PARTE PARA O TERCEIRO MANDATO DE LULA SE NÃO QUISER.

Essa gente renuncia a seu papel de fazer oposição — atribuição que recebeu do eleitor — E DEPOIS CONTA COM O PT PARA BOTAR LIMITES NO PRÓPRIO PT?

Por enquanto, Lula já está reeleito. Ainda que não concorra formalmente à (re)reeleição.

Um comentário:

  1. Não se iluda caro Luiz, apenas o Reinaldo está querendo defender o 2º mandado de FHC daquela época, bem como aquela emenda da reeleição e por fim está dando uma força para que está idéia vá para frente. Aí vai ser uma maravilha, a imprensa golpista cai encima matando. Ela só não bate agora, porque ainda não realidade esta vontade, mas caso incentive e por conta deste incentivo está proposta caia nas graças de todos, a imprensa terá muitos editorias pela frente. Por isso não se iluda.

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.