terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Serra, Alckmin e os amigos da onça
















O PSDB é um partido engraçado. Olhando friamente os números das pesquisas recentes, os tucanos são favoritíssimos a recuperar o governo federal em 2010. Afinal, o governador José Serra (SP) lidera as enquetes com folga e Aécio Neves (MG) desponta com enorme potencial, para não falar do ex-governador Geraldo Alckmin (SP), que estranhamente é deixado de lado nas pesquisas, a despeito do enorme recall que deve ter em função da disputa presidencial do ano passado. Apesar de tudo isto, os tucanos mais uma vez não estão se entendendo e podem se perder nas brigas internas, abrindo caminho para a vitória do candidato do presidente Lula em 2010.

Para variar um pouco, o centro da discórdia tucana é São Paulo. Serra deseja que o partido dê suporte à candidatura do prefeito Gilberto Kassab (DEM) à reeleição, indicando o vice, provavelmente Andrea Matarazzo, que tem demonstrado grande afinidade com o prefeito. No final de semana, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso revelou seu apoio a esta estratégia e Serra ontem disse que o partido "precisa ouvir" o que diz FHC. O grupo político que gira em torno de Geraldo Alckmin, porém, está insatisfeito com a condução do processo. O ex-governador é favorito em quase todas as pesquisas de opinião e tem força no partido para forçar a sua própria candidatura. Nos bastidores, há quem diga que Alckmin tenta arrancar de Serra cargos para os seus seguidores, que foram alijados do governo com a posse do novo governador, no ano passado, além da garantia de ser o candidato do PSDB ao governo de São Paulo em 2010. Se nada disto funcionar, Alckmin sairia candidato a prefeito ou imporia a Serra uma derrota política lançando um nome do seu grupo à prefeitura apenas para impedir a aliança com Kassab. José Aníbal, por exemplo. Ontem, o governador Aécio Neves (MG) entrou na jogada e defendeu a candidatura de Alckmin à prefeitura, mostrando que o ex-governador não está isolado no partido.

Ora, se Alckmin for realmente candidato e vencer a eleição, se tornará de novo uma pedra no sapato de Serra. E isto interessa a Aécio, também ele de olho na vaga de candidato à presidência em 2010. Tudo que atrapalha Serra é bom para Aécio. E vice-versa, dizem os maldosos.

No fundo, com adversários assim, Lula pode até se dar ao luxo de ter uns amigos aloprados. Sim, eles fazem muita besteira, mas os tucanos fazem mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.