quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Cartão corporativo ainda vai dar
dor de cabeça para o governo federal

A história dos gastos de ministros e altos funcionários do governo com cartões de crédito corporativos pode se transformar em uma grande dor de cabeça para o presidente Lula se ele não tomar providências rápidas e mandar a turma explicar direitinho como é que está gastando o meu, o seu, o nosso suado dinheirinho. Há muita hipocrisia nas matérias que têm saído na imprensa, a começar pelo fato de que nunca ninguém se interessou pelos gastos dos ministros do presidente que criou o cartão corporativo, um tal de Fernando Henrique Cardoso.

Aliás, antes que alguém diga que este blog protege o governo Lula, o fato de FHC ter tido a idéia de jerico de criar os cartões corporativos não isenta o atual presidente, que, afinal, está mantendo o monstrengo. E também antes que alguém diga que o blog aderiu ao discurso udenista da senadora Heloísa Helena e dos Democratas, vale esclarecer que a questão do cartão corporativo é simples: no setor público, tudo que é feito na sombra acaba provocando ruído e, ainda que não haja nenhuma ilegalidade nas compras com o cartão, vai sempre pairar a dúvida. A melhor coisa, do ponto de vista do governo, é acabar logo com esta modalidade e ressarcir os ministros das notas que eles trouxerem de gastos realizados em missões de trabalho. Ou simplesmente abrir os extratos dos cartões na internet, de maneira transparente, para todos verem como o dinheiro público está sendo gasto. Continuar como está só dá munição para as forças de oposição, esteja o governo gastando direito ou não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.