segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

Buraco é o primeiro teste de Serra

Tragédia à parte, a cratera aberta no bairro de Pinheiros, em São Paulo, é o primeiro teste de fogo para o governador José Serra (PSDB). Até agora, ele tem se portado bem, embora tenha sido um tanto lacônico em suas declarações à imprensa: esteve no local do acidente, mostrou estar no comando do processo, enfim, fez o papel que lhe cabe. O prefeito Gilberto Kassab (PFL), aliás, tem se mostrado um pouco mais presente, mas o fato é que Serra também tem aparecido e dado a cara para bater.

O jogo, no entanto, está só começando. Como bem lembrou o jornalista Fernando Rodrigues em seu blog, o desgaste será maior à medida que os mortos começarem a aparecer. Serão questionados os procedimentos adotados (a busca não começou tarde demais?) e a opinião pública vai querer saber direitinho de quem foi a culpa pelo desastre. Aí sim, o governador terá que mostrar habilidade.

Além dos mortos e dos vizinhos prejudicados pelo desabamento, Serra ainda terá que arcar com o desgaste de enventuais atrasos nas obras e precisará decidir sobre o modelo que foi adotado pelo seu antecessor Geraldo Alckmin para a construção do Metrô paulistano. As duas opções são complicadas politicamente: romper ou rever um contrato significa ir de encontro com tudo que os tucanos sempre pregaram, além do óbvio reconhecimento de que houve erro na adoção do modelo durante a gestão tucana de Alckmin; manter as coisas como estão implica na permanência do poder público mais distante do controle das obras em andamento. Conhecendo o caráter controlador de Serra, é bem possível que ele queira mudar o modelo, mas ainda é cedo para especular a respeito, pois o problema tem muitas variáveis e o contrato certamente possui cláusulas sobre procedimentos a responsabilidades em casos de acidentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.