domingo, 21 de janeiro de 2007

Sobre as milhagens aéreas

Um bom tema para a manifestação dos candidatos à presidência da Câmara dos Deputados é a titularidade das milhagens que são obtidas a partir das viagens pagas pela Casa aos seus 513 integrantes. Pela regra atual, o passageiro que viaja com os bilhetes fornecidos pelos gabinetes é quem fica com a milhagem. O Governo do Distrito Federal acabou com uma farra semelhante e impôs que a milhagem seja revertida para a administração pública, de forma a gerar uma bela economia na emissão das futuras passagens. Ninguém toca no assunto, mas é uma questão relevante para ser feita aos candidatos ao comando da Câmara e uma bela pauta para os jornais: quanto poderia ser economizado com a adoção da medida? Afinal, o contribuinte está bancando não apenas as viagens a trabalho dos parlamentares e assessores, o que é justo, mas também os vôos turísticos que eles conseguem acumulando as milhagens, o que não passa de uma bela mordomia...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.