segunda-feira, 29 de janeiro de 2007

Mentira tem perna curta, Geraldinho

O ex-governador Geraldo Alckmin e o pessoal do PSDB da nova administração foram rápidos em vazar a versão de que o contrato "turn key" assinado pelo governo de São Paulo para a construção da linha 4 do Metrô paulistano era uma exigência do Banco Mundial para o financiamento da obra. Desta forma, estariam eles – Alckmin e seus comparsas – isentos de qualquer responsabilidade no acidente que abriu a cratera na rua Capri, no bairro de Pinheiros.

A desculpa era boa, afinal, como recusar o dinheiro do Banco Mundial para uma das obras mais caras em andamento no país? O jeito era aceitar as condições e tocar a bola para frente...

O problema todo é que o pessoal do PSDB esqueceu de combinar com os russos, como diria o Mané Garrincha. O jornalista Paulo Henrique Amorim desconfiou da história e entrevistou o gerente de projetos do banco, Jorge Rebelo, que desmentiu a versão do ex-governador Alckmin.

Para piorar a situação dos tucanos, eis que a Folha de S. Paulo descobre hoje que o engenheiro responsável pela fiscalização da obra tem estreitas ligações com as empreiteiras que estão tocando o projeto. Esse buraco de Pinheiros, definitivamente, ainda vai dar muito o que falar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.