sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Afinal, quem manda no PSDB?

A nota abaixo está no blog do jornalista Ricardo Noblat. Vale a leitura, antes das conclusões:

Serra diz que só vai se envolver com eleições em 2010

Em resposta ao pedido dos diretórios estaduais do PSDB que querem antecipar a escolha do candidato a presidente pelo partido, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB) reforçou nesta quinta-feira, 19, em Curitiba que não vai se envolver em campanha eleitoral "até o momento em que nos aproximemos da época da desincompatibilização". O outro presidenciável do partido, o governador mineiro, Aécio Neves, aproveitou a cobrança dos tucanos nos Estado para voltar a pedir a antecipação do processo de escolha.

Bem, é simples a questão: quem, afinal, manda nesta esbórnia chamada PSDB? O jogo agora parece meio surreal: no PT, não há ninguém, neste momento, contestando a candidatura da ministra Dilma Rousseff. Já no ninho tucano, o clima é meio parecido com o que rolou ontem no Estádio Olímpico. Serra deve ser o Obina, Aécio tem jeito de Danilo. O fato é que os dois companheiros se estapearam em público e este blog está curioso para ver até quando vai a paciência do governador paulista. Serra gostou de ser chamado de "coiso" por Ciro Gomes, ao lado de Aécio Neves? Não, certamente não gostou.

Mas calou o bico, em nome de seu próprio desejo de se tornar o sucessor de Lula. Este blog avalia que, até aqui, Aécio tem jogado muito melhor do que Serra. Muito é pouco neste caso, porque o governador prefere se decidar a questões menores, que acha grandes. Até agora, porém, não resolveu o básico - Febem (Fundação Casa) e Segurança Pública, atributos do governo do Estado. O que é de Lula, Serra manda brasa; em seu quintal, comporta-se como se estivesse fora da disputa. Não está, e terá que dar a cara para bater. Pode não ser bom.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.