segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Um erro grosseiro do PT em São Paulo

O autor destas Entrelinhas esteve no estúdio da Band e comenta o debate entre os candidatos à prefeitura de São Paulo em seguida, no próximo post. Antes, porém, um breve pitaco sobre a propaganda eleitoral gratuita que voltou neste domingo nas rádios e emissoras de televisão aberta. Este blog avalia que o programa do PT paulistano erra feio ao insinuar a homossexualidade do prefeito Gilberto Kassab (DEM). A vida pessoal dos políticos é um problema particular de cada um e em nada acrescenta ao debate público, a menos que tais condutas impliquem em crimes (uso de drogas ilícitas, pedofilia etc). Além disto, a estratégia pode ser o típico caso de feitiço que se volta contra o feiticeiro, pois Marta Suplicy (PT) é uma defensora histórica dos direitos da comunidade GLTB. Ou seja, além de poder ser caracterizada como "baixaria", a insinuação pode fazer com que ela perca votos nesta comunidade. Uma derrapada feia, que se não for corrigida logo, vai causar problemas sérios à candidata petista.

9 comentários:

  1. Uma coisa q talvez vc não saiba: a PIG - especialmente a Rolha de SP - em todas as últimas edições tem focado comentários no fato de Marta ter se divorciado de Suplicy e casado com Favre, uma posição conservadora e hipócrita.
    Encaro a propaganda de Marta como absolutamente normal: afinal quem é Kassab, acessor para assuntos municipais de Serra?
    Quem é esse senhor q herdou a maior prefeitura do país sem um voto sequer?
    A PIG esconde de seus leitores todos os assuntos q possam embaraçar Serra ou Kassab, portanto é preciso indagar, sim, q pensa, qual a origem e o q pretende esse senhor.

    ResponderExcluir
  2. Eu sempre quero saber quem são os candidatos SIM.
    Perguntei ao meu candidato a vereador pessoalmente.
    - de onde vc. veio e a qto tempo mora aqui?
    - vc é casado? qtos filhos tem?
    - onde sua mulher trabalha?
    - o que vc. fazia antes de entrar para a política?
    Porque senão nós corremos o perigo de estar alimentando uma família inteira de vagabundos.
    Se ele for gay tudo bem, nada contra, mas temos o direito de saber quem são seus parentes.
    O Alckmin por ex. apresenta sua mulher e filha em todos os lugares.

    ResponderExcluir
  3. Temos o direito de saber quem são os candidatos SIM.
    Eu perguntei pessoalmente ao meu candidato a vereador.
    - vc. veio de onde e a qto tempo mora aqui?
    - vc. é casado e tem filhos?
    - o que vc. fazia antes de entrar para a política?
    Se ele for gay tudo bem, não precisa esconder de ninguém.
    O que nós queremos saber é qtas pessoas ligadas a sua família poderão se beneficiar com cargos e salários pagos por nós.

    ResponderExcluir
  4. MAIS UM erro grosseiro do PT DE SP. Depois ficam perguntando "por que SP não me entende...". O PT nasceu em SP, e o pior do PT está em SP.

    E o José Paulo aí em cima defende a "vendetta": já que fazem isso com ela, que se faça com todos.

    Por isso mesmo que o PT em SP sempre fica nos 30% de votos: pelo auto-isolamento que ele mesmo se impõe aqui. Em sampa, é sempre "o PT contra a rapa", como se dizia nos meus tempos de futebol na rua.

    Dizer (ou insinuar) que o Chucky é homossexual não diz nada sobre a sua origem e suas pretensões políticas. Ainda mais vindo da campanha de uma ex-deputada que apresentou um projeto legalizando a união entre pessoas do mesmo sexo.

    Dizer que o Kassab é da Arena também não ajuda, uma vez que a Marta e o Maluf (candidato da Arena contra Tancredo) passearam, lado a lado, em várias kombis em 2004.

    Vou votar Marta, mas está ficando cada vez mais difícil convencer alguém a votar nela.

    ResponderExcluir
  5. A impressão que me dá é que o PT, em vez de copiar a disciplina, objetividade e visão estratégica da campanha do Obama nos EUA,devagar e sempre, gostou da pergunta puramente tática da campanha do MCCain em seus comícios: Quem é realmente Barack Obama? Na pergunta e na resposta cabe tudo, desde dizer que BO é muçulmano, a que é terrorista e que come criancinhas.

    ResponderExcluir
  6. Não concordo com o blogueiro, a cidade de Sâo Paulo e os herdeiros da Caminhada com Deus pela liberdade juntos com os principios da velha TFP, passaram os 4 anos da administração petista falando da vida pessoal da prefeita, até hoje a imprensa vai e volta nesse assunto.
    Que Kassab é gay nem todo mundo sabe, mas é bom saber pra essa cidade iprócrita e dissimulada com os seus falsos moralismos parar com esse preconceito moral que tem com a ex-prefeita.
    Marta incomoda muita gente pelo que acredita e defende,mulher corajosa que falava sobre sexo no inicio dos anos 80, autora do projeto de lei de união civil de pessoas do mesmo sexo, separada do homem mais querido da cidade para ficar com outro e nunca negou o que pensa da descriminalização do aborto além de assidua frequentadora da parada gay desde a primeira em 1997.
    Chega, abaixo o preconceito moral dessa cidade.
    A população precisa saber sim que ele é gay e não se assume porque quer dar uma de Homem hetero para ganhar voto.

    ResponderExcluir
  7. Vinicius, minha posição não tem nada de vingança.
    Não gosto de hipocrisia. Não concordo com dois pesos e duas medidas para o mesmo ato, ação, pensamento.
    São Paulo é uma cidade hipócrita, preconceituosa e conservadora.
    E te pergunto: quem é o Sr Kassab?
    O q ralmente pensa?
    A mídia comprometida e descompromissada já nos deu um Collor, ameaça nos empurrar goela abaixo um Aécio, já nos vendeu um Alckmin como gerentão e quer nos vender um Kassab inexpressivo e dissimulado.
    Eu sei o q Marta pensa, q bandeiras defende. Sei q sua família não é nada de excepcional.
    Mas, quem é o Sr Kassab?

    ResponderExcluir
  8. Fernando,
    O problema todo é que a propaganda da Marta teve o efeito oposto e deu à direita o argumento de que ela seria homofóbica, o que é um absurdo lógico, pois foi a Marta quem primeiro assumiu a bandeira dos GLTB – o projeto que permite o que a direita chama de casamento gay é dela... Portanto, foi um tiro que saiu pela culatra. E a insinuação também é uma tática ruim. Se a idéia é forçá-lo a assumir, seria muito melhor perguntar diretamente, talvez no debate: o senhor é gay? Em caso positivo, é por motivos eleitorais que não assume esta condição?
    abs. e obrigado a você e a todos os demais pela audiência.

    ResponderExcluir
  9. Que preocupação tola essa sobre a sexualidade do candidato.Será que São Paulo não assunto mais importante a exemplo de combater o PCC, a pobreza que campeia sob os viadutos,etc. Não percam tempo, deixem o Kassaby se arrnjar ao modo dele.Vocês merecem!

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.